Publicado 09 de Fevereiro de 2020 - 11h29

Por Henrique Hein

A Polícia apreendeu mercadorias no Camelódromo de Campinas

Wagner Souza/AAN

A Polícia apreendeu mercadorias no Camelódromo de Campinas

A Polícia Civil cumpriu, na madrugada deste domingo, 72 mandados judiciais de busca e apreensão de mercadorias falsificadas no Camelódromo de Campinas, na região central da cidade. Com apoio da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) e da Guarda Municipal (GM), os policias civis lacraram os estabelecimentos que vendiam os produtos pirateados e apreenderam milhares de peças dos setores de vestuário e calçado. A operação, que é fruto de investigação por parte das autoridades, aconteceu antes da abertura do centro comercial. Ninguém foi detido até o momento.

Toda mercadoria apreendida foi levada, no começo da manhã, para o 1º Distrito Policial (DP). Os produtos foram colocados num caminhão e passarão agora por uma inspeção. Após o inquérito, os objetos serão incinerados. O delegado Hamilton Caviolla Filho, que comandou a operação, explica que a Polícia foi procurada por representantes das marcas originais e que as peças representam apenas uma pequena parcela dos produtos irregulares que são comercializados no município.

Um dos proprietários lesados com a falsificação de seus produtos no Camelódromo contou a reportagem do Correio Popular que o prejuízo obtido pela empresa ainda é incalculável, mas que torce para que ações como essa sejam reforçadas. “É importante que medidas de combate as mercadorias ilegais continuem acontecendo em grandes centros como Campinas, porque existem vários locais em que a falsificação de produtos é muito grande. Os camelódromos são apenas um exemplo disso”, afirmou “Por ano, a falsificação representa um decréscimo de 20% a 30% nas vendas das empresas que detêm o produto genuínos”, ressaltou o proprietário.

Escrito por:

Henrique Hein