Publicado 24/01/2020 - 07h44 - Atualizado 24/01/2020 - 09h46

Por Tote Nunes

Paula Gurgel ampliou a loja de decoração e contratou novos funcionários

Matheus Pereira/AAN

Paula Gurgel ampliou a loja de decoração e contratou novos funcionários

As micro e pequenas empresas abriram 3.716 novas vagas de empregos enquanto as médias e grandes registraram 1.603 novos postos de trabalho de janeiro a novembro de 2019, em Campinas. O saldo de vagas das micro e pequenas empresas (MPEs) representa 69,9% do total de empregos gerados em 2019 na cidade, segundo análise do Sebrae-SP, a partir dos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).
"Quem vai gerar os empregos que o País precisa não serão os gigantes, serão as pequenas e micros, que contratam ou transformam desempregados em empreendedores. Os números mostram a força dos pequenos negócios", destaca o diretor-superintendente do Sebrae-SP, Wilson Poit.
A empresária Marisa Magalhães, que tem loja no centro da cidade, de fornecimento de matéria-prima para artesãos, tem vivido dias de otimismo. No ano passado, contratou sete novos funcionários e este ano já abriu uma nova vaga de emprego. Ela conta que teve momentos de apreensão por conta da crise, mas confia no segmento que escolheu. "Muita gente tem no artesanato uma segunda fonte de renda e esse segmento cresceu muito por causa do aumento do desemprego. Gente que perdeu o emprego tenta sobreviver com artesanato e é aí que a gente entra", diz Marisa, que chegou a duplicar o tamanho da empresa em 2019 e continua otimista para 2020.
Proprietária da Tininha Decorações — uma empresa de locação de decoração para festas infantis, Paula Gurgel também contratou no ano passado: contava com quatro funcionários e, com a ampliação do negócio em 2019, teve de abrir três novas vagas. "Neste ano, já estou me preparando para contratar mais um." "Até por causa da crise, muita gente prefere fazer festas mais intimistas e aí é que entra o nosso negócio", afirma.
Segundo o levantamento, o destaque foi o setor de serviços, que abriu 2.929 novos postos de trabalho, seguido pela construção civil com 578. O saldo de vagas é resultado da diferença entre o número de contratações e desligamentos nas empresas.
Estado
As micro e pequenas empresas foram responsáveis por 80,8% das vagas de empregos criadas entre janeiro e novembro de 2019 no Estado de São Paulo, enquanto as médias e grandes responderam por 19,2%. Enquanto as MPEs abriram 227.344 postos de trabalho, as médias e grandes foram responsáveis por 54.006 no período.
Na divisão por setores, as pequenas empresas de serviços geraram 131.584 vagas, seguidas pelo comércio com 35.055, construção civil com 26.194 e indústria de transformação com 18.555.
País
A geração de empregos nos pequenos negócios no acumulado até novembro de 2019, com a criação de 861 mil novos postos de trabalho, supera o saldo de empregos gerados por esse segmento em todo o ano de 2018. O resultado é o melhor para o mês de novembro dos últimos seis anos. Conforme levantamento feito pelo Sebrae, a partir dos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), os números representam 14% de aumento em relação ao mesmo período (jan/nov) de 2018, sendo 12 vezes mais que as médias e grandes empresas, que somente em novembro de 2019, registraram a demissão de 1.568 trabalhadores.
A expectativa é que os pequenos negócios fechem 2019 com o total de 700 mil empregos gerados (em dezembro, as empresas registram, sazonalmente, saldos negativos). Somente no último mês de novembro, os pequenos negócios geraram 101,5 mil contratações com carteiras assinadas no País, o que significa um aumento de 36% em comparação com novembro de 2018.
Somando-se aos saldos negativos das médias e grandes empresas (MGE) e da Administração Pública, o País criou 99,2 mil empregos formais no mês. Os pequenos negócios do comércio tiveram destaque com a criação de mais de 80 mil postos de trabalho em novembro. O segundo maior saldo foi registrado nas MPE de Serviços com 33,4 mil empregos.
As micro e pequenas empresas (MPE) que atuam no setor de serviços têm sustentado a geração de empregos no País em 2019, respondendo pela criação de aproximadamente 446 mil novas vagas ao longo do ano, seguidas pelas MPE do comércio, que contribuíram com a geração de 128,3 mil novos postos de trabalho e pelas MPE da construção civil, que também se destacaram com novos 123,3 mil empregos formais.
Regiões
A região Sudeste liderou a geração de empregos em novembro com um saldo de 48,2 mil novas contratações formais, puxadas pelas micro e pequenas empresas do Estado de São Paulo, que foram responsáveis pela criação de 23,1 mil novos postos, e seguidas pelas MPE do Rio de Janeiro, que contribuíram com 14,6 mil novas vagas.

Escrito por:

Tote Nunes