Publicado 11/01/2020 - 11h19 - Atualizado // - h

Por Gilson Rei

Do total dos 125 novos ônibus adquiridos pela empresa, entraram ontem em operação 29 veículos nas regiões Norte e Leste do município

Divulgação

Do total dos 125 novos ônibus adquiridos pela empresa, entraram ontem em operação 29 veículos nas regiões Norte e Leste do município

Usuários do transporte coletivo de Campinas começaram ontem a utilizar novos ônibus zero km, dotados de alta tecnologia, que foram comprados pela VB Transportes e Turismo para circulação nas regiões Norte e Leste do município (Área 3).
A empresa fez um investimento de R$ 52 milhões na aquisição de 125 ônibus com ar-condicionado, wi-fi, tomadas USB, telemetria, suspensão pneumática, biometria facial, câmeras, GPS e QR Code. Ontem, 29 ônibus começaram a rodar na cidade, 80 veículos entrarão em operação até sexta-feira da próxima semana, enquanto que o restante estará à disposição da população até o final deste mês.
Os veículos vão atender aproximadamente 65 mil usuários por dia da área 3 do transporte coletivo, que abrange a população das regiões Amarais, Barão Geraldo, Jardim Santana, Gargantilha, Sousas, Joaquim Egídio, Carlos Lourenço e São Gabriel, entre outras, utilizando o terminal Barão Geraldo e as estações Parque Prado, Vila Georgina, Carlos Lourenço, Cidade Judiciária, Sousas e Amarais.
Paulo Barddal, diretor de Comunicação da VB Transportes e Turismo, disse que o investimento faz parte do programa de renovação da frota da empresa no transporte de Campinas, com o diferencial da introdução de um novo patamar de atendimento aos usuários, com alto nível de tecnologia aplicado nos ônibus. “Dos 125 ônibus, 96 já foram entregues pelo fabricante e os demais chegam na semana que vem”, comentou.
Barddal destacou que a tecnologia existente nos veículos vai trazer mais conforto e inaugura um novo padrão. “Os ônibus são equipados com tecnologias de ponta, entre as quais a acessibilidade, biometria facial, GPS, câmeras, QR Code, telemetria, wi-fi, tomadas para carregamento de celulares, suspensão pneumática e ar-condicionado”, ressaltou.
Os 29 veículos que já entraram em operação estão fazendo as linhas 371 — Estação Parque Prado, 377 — Vila Marieta/Shopping Dom Pedro, 378 — Carrefour Valinhos/ Shopping Iguatemi, e 333 — Terminal Barão Geraldo. “Essas linhas juntas atendem mais de 15 mil usuários”, disse Barddal.
Os 125 veículos contam com chassi Volksbus 17.230 ODS e carroceria Caio Apache VIP SC IV e trazem todo o conforto da suspensão pneumática, além de sistema de ar-condicionado para refrescar o Verão dos passageiros. “O modelo é indicado para operações de transporte urbano e fretamento, pois une robustez e versatilidade”, disse Barddal.
Com a chegada dos ônibus novos na concessionária, mais da metade dos veículos da empresa passa a rodar com ar-condicionado.
Em setembro passado, a frota da VB3 havia ganho um reforço de 27 veículos Caio Apache Vip IV, com suspensão pneumática e ar-condicionado. Nesse mesmo período, a VB1, que atua na área Azul 1 (linhas azul claro), e faz parte do mesmo grupo, colocou em operação sete ônibus com ar-condicionado.
Telemetria reduz emissão de poluentes
A telemetria é um recurso bastante utilizado nos carros da Fórmula 1 e na Moto GP. Permite que haja, entre outras funções, o controle na forma de dirigir e na redução na emissão de poluentes na atmosfera. Todas as informações são transmitidas em tempo real para um Centro de Controle Operacional.
Com a frota atual de ônibus com telemetria, Campinas deixa de receber na atmosfera cerca de sete toneladas diárias de poluentes. Se o motorista deixar o ônibus ligado por um período superior a três minutos, em marcha lenta, o motor é desligado automaticamente.
Com a telemetria, os ônibus só podem ser ligados mediante o uso de uma senha que só o motorista tem acesso. A partir do momento em que o motor é acionado, o sistema de telemetria começa a funcionar. Com o uso dele, os usuários do transporte coletivo urbano são beneficiados com viagens mais confortáveis e a cidade ganha em qualidade de vida.
Além disso, como a maneira de dirigir será controlada em tempo real, o motorista tem um painel com diversas luzes para aferir se há excesso de velocidade, se a frenagem e a aceleração são excessivas ou se a curva foi feita muito fechada.
Com a telemetria, de acordo com as estatísticas, é possível reduzir em cerca de 60% o número de acidentes, 50% o volume de quebras, e em 65% as reclamações relacionadas à dirigibilidade.
A melhora expressiva na dirigibilidade vai garantir maior conforto aos passageiros, assim como haverá maior segurança tanto para o condutor quanto para o usuário. Alguns vícios — como acelerações e frenagens bruscas — ficam mais perceptíveis para os próprios motoristas.

Escrito por:

Gilson Rei