Publicado 02/12/2019 - 15h25 - Atualizado 02/12/2019 - 15h28

Por Estadão Conteúdo

Destaque do jogo, Evandro construiu a jogada do gol de Lucas Veríssimo e também marcou o seu, encerrando um longo jejum

Divulgação/Santos FC

Destaque do jogo, Evandro construiu a jogada do gol de Lucas Veríssimo e também marcou o seu, encerrando um longo jejum

A vitória por 2 a 0 sobre a Chapecoense, domingo, na Vila Belmiro, deixou o Santos em situação mais confortável na briga pelo segundo lugar do Campeonato Brasileiro e foi importante para Evandro. Destaque do jogo, ele construiu a jogada do gol de Lucas Veríssimo e também marcou o seu, encerrando um longo jejum
O compromisso contra a Chapecoense foi o 17º de Evandro com a camisa do Santos, mas a primeira vez em que ele marcou um gol. Antes de chegar ao clube, pelo qual estreou em agosto, ele estava no Hull City, tendo feito dois gols em janeiro. Até por isso, o meia celebrou o fim do jejum e avaliou que fez sua melhor partida nesse retorno ao futebol brasileiro.
"Acho que sim. Como falei outra vez, estava ansioso para marcar meu primeiro gol com a camisa do Santos. Nunca tinha ficado tanto tempo sem marcar um gol. São coisas que acontecem, aconteceu com outros jogadores. Temos que saber lidar com isso e continuar treinando. Poderia não ter saído, e não mudaria meu pensamento e modo de treinar. Mas é bom que o gol saiu e estou feliz por isso", disse, em entrevista coletiva nesta segunda-feira no CT Rei Pelé.
Desde a sua estreia, Evandro participou de 17 dos 24 jogos do Santos, demonstrando ser um dos jogadores de confiança do técnico Jorge Sampaoli, que está com a permanência na Vila Belmiro incerta. O cenário do meia é parecido, pois o seu contrato só vai até o meio da próxima temporada. "Meu contrato vai até julho. O Santos tem prioridade de estender até dezembro de 2020. É o que tem. Ainda não foi falado nada", disse.
Com os resultados do fim de semana, o Santos só precisa de uma vitória nas duas rodadas finais do Brasileirão para assegurar o vice-campeonato nacional. Evandro diz que o elenco deve se orgulhar da campanha, embora ele mesmo lamente por não ter conseguido o título, algo que, aos 33 anos, é uma meta pessoal de uma carreira ainda sem conquistas nacionais.
"Nos dá confiança. Não dá o troféu de campeão, é algo que busco na minha carreira, porque não tenho nenhum título de expressão e gostaria muito. Mostra um trabalho bem feito e que preciso seguir. Nessa pontuação, alguns times já foram campeões. O campeonato foi diferente pelo que o Flamengo fez, algo incomum", afirmou.
Com Evandro bem cotado para ser mantido entre os titulares, o Santos visitará o Athletico-PR na quarta-feira, na Arena da Baixada, e no domingo receberá o Flamengo, na Vila Belmiro, encerrando a sua campanha no Brasileirão.

Escrito por:

Estadão Conteúdo