Publicado 14/12/2019 - 11h45 - Atualizado 14/12/2019 - 11h45

Por Alenita Ramirez

Base foi inaugurada ontem em solenidade no Jardim Indianópolis

Wagner Souza/AAN

Base foi inaugurada ontem em solenidade no Jardim Indianópolis

Após um ano e meio desativada, a 3ª Companhia da Polícia Militar (PM), do 47º Batalhão de Campinas, reabriu ontem em outro endereço: Na Rua Waldemar José Strazzacappa, no Jardim Indianopólis. O prédio é locado e passou por reformas para receber a sede. A cerimônia contou com a presença do secretário municipal de Segurança Pública, Luís Augusto Baggio, e os comandos da polícia. Diversos moradores também estiveram no evento.
A base funcionava em uma casa de madeira, construída com recursos dos próprios moradores e comerciantes da região, na Praça de Esportes Tancredo Neves, desde o fim dos anos de 1990 e foi desativada, segundo a corporação porque o espaço apresentava problema estrutural e colocava em risco a segurança dos policiais. Desde então, os policiais foram centralizados na sede do 47º Batalhão, na Vila Teixeira. “Com a volta da base, ela vai aumentar a sensação de segurança na região, uma vez que o fluxo de viatura será maior e o tempo de resposta para os atendimentos será mais rápido”, disse o comandante da companhia, capitão Alexandre Hoio de Souza.
A 3ª Cia é responsável pelo policiamento de mais de 50 bairros e, além de ser a base onde funcionará o setor administrativo, segundo Hoio, os moradores poderão registrar Boletim de Ocorrências. O local conta com 115 policiais. “Para a população a presença da base aumentará a sensação de segurança pelo fato de as viaturas estarem mais próximas das ocorrências”, disse o presidente do Conselho de Segurança local, Paulo Duarte.
Para os moradores, a sede da PM no local vai intimidar as ações de criminosos, que aumentaram após o fechamento da antiga base. Segundo eles, assaltos e furtos ocorriam em qualquer horário e dia da semana.
A dona de casa Josiane Ciribele, de 59 anos, mora perto da base, em frente a praça e do lado oposto da via e contou que há quatro meses uma de suas filhas foi atacada por dois bandidos quando descida de um carro por aplicativo, à noite. “Os bandidos tentaram roubá-la, mas ela me avisou e eles agrediram. Ainda bem que havia um segurança nas proximidades e gritou para eles, que fugiram atirando”, contou.
Outra moradora, Marcia Eli de Almeida, teve o carro furtado em frente sua casa, há um ano. Por sorte, havia policiamento no bairro e o veículo foi recuperado dez minutos depois. “Nosso maior desafio e o maior ganho é aproximar mais dos moradores”, frisou Hoio, destacando que uma das propostas para o ano que vem é reforçar a ronda escolar.

Escrito por:

Alenita Ramirez