Publicado 03/12/2019 - 09h16 - Atualizado 03/12/2019 - 09h16

Por Daniel de Camargo

De acordo com policiais, os criminosos portavam fuzis e dispararam ao tentar fugir pelos fundos

Divulgação/Baep

De acordo com policiais, os criminosos portavam fuzis e dispararam ao tentar fugir pelos fundos

Um homem morreu baleado e outros dois foram presos na madrugada do último domingo, um deles ex-policial militar, durante um sequestro seguido de uma tentativa de roubo a residência na Avenida Itatiaia, no bairro Parque Imperador, em Campinas. Segundo o Batalhão de Ações Especiais da Polícia Militar (Baep), o trio de assaltantes abordou o comerciante no seu estabelecimento no Parque Brasília e o levou até a sua casa.
Após denúncia anônima, a PM se dirigiu para o lugar. Ao chegar lá, se deparou com um carro blindado entrando no imóvel, que foi cercado pelas autoridades. Os criminosos portavam fuzis e dispararam contra os policiais, quando tentaram escapar pelos fundos. Houve troca de tiros. Fora o assaltante que morreu no local, mais ninguém se feriu. Segundo o Baep, nada foi levado da residência.
Foram apreendidas armas, munições, rádios comunicadores e celulares. Sobre o ex-policial militar, a PM informou que ele foi expulso há mais de 10 anos, ainda durante seu estágio probatório, "por conduta inadequada em horário de folga". O caso foi registrado no 1º Distrito Policial de Campinas, no Centro.
Na última sexta-feira, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou, em nota, que a região de Campinas terminou o mês de outubro com redução em todas as modalidades de furtos, nos roubos em geral, de veículos e a banco e nos casos e vítimas de latrocínios. Extorsões mediante sequestro ficaram zeradas.
Os roubos em geral recuaram 9,8%, com 107 casos a menos (de 1.092 para 985). Os roubos de veículos diminuíram 29,9%, com 344 ocorrências em outubro deste ano, ante 491 em igual mês de 2018 - é o menor total da série iniciada em 2001.
"Já as extorsões mediante sequestro ficaram zeradas pela 14ª vez na série”, informou a Pasta.

Escrito por:

Daniel de Camargo