Publicado 14/12/2019 - 19h42 - Atualizado 14/12/2019 - 19h42

Por AFP


A Nicarágua nacionalizou neste sábado a Distribuidora Nicaraguense de Petróleos (DNP), após sanções impostas pelos Estados Unidos que o vinculam a um esquema de corrupção e lavagem de dinheiro do governo do presidente Daniel Ortega.

A lei estabelece que todos os inventários do DNP se tornarão "propriedade total" do Estado da Nicarágua e serão gerenciados e operados pelo Ministério de Energia e Minas (MEM). O texto foi aprovado com 73 votos a favor no congresso de 92 cadeiras dominadas pelo partido no poder.

Ortega enviou o texto "urgentemente" ao Congresso na sexta-feira, antes de uma "potencial escassez de combustíveis e derivados de petróleo" no país, segundo a exposição de motivos

A DNP importa 30% de hidrocarbonetos e derivados de petróleo e parte deles são vendidos por meio de 69 estações de serviço. Após as sanções, a empresa não poderá comprar de seus fornecedores.

A demanda nacional é suprida pela multinacional de origem suíça Puma Energy, que além de combustíveis refinados, importa o petróleo processado em sua refinaria e abastece outras distribuidoras no mercado local.

Os Estados Unidos sancionaram Rafael Ortega, filho mais velho do presidente e a vice-presidente Rosario Murillo na quarta-feira.

Outras 11 autoridades e pessoas próximas ao governo foram sancionadas, no contexto da crise política que afeta o país desde 2018, para pressionar Ortega a fazer mudanças políticas e convocar eleições livres no país.

jr/dga/cc

Escrito por:

AFP