Publicado 22/11/2019 - 11h02 - Atualizado 22/11/2019 - 11h02

Por Carlos Rodrigues

Carpini:

David Oliveira/Guarani FC

Carpini: "Se não estiver no Guarani em 2020, saio de alma lavada, com orgulho de tudo que construímos"

Com a permanência garantida na Série B do ano que vem, o Guarani se despede hoje de sua casa em 2019 e, sem pressão, enfrenta o América-MG, às 21h30, no Brinco de Ouro, querendo deixar uma última boa impressão para a torcida. Se para o Bugre os objetivos são mais modestos, o jogo tem peso para o time mineiro, que ainda briga pelo acesso e vem a Campinas em busca dos três pontos que podem deixá-lo no G4 a uma rodada do fim do campeonato.
Mesmo sem grandes pretensões, Thiago Carpini garante que vai tratar o duelo com todo respeito possível. Ciente de que a partida também interessa a terceiros, o comandante quer seriedade de sua equipe e prova disso é a escalação. Embora tenha a ideia de fazer testes com jogadores pouco aproveitados, o técnico pretende mandar a campo praticamente força máxima, com apenas Bidu e Deivid como novidades.
"Agora a gente trabalha em cima de metas pessoais, como melhora de aproveitamento, número de vitórias. Individualmente, cada um tem seus objetivos. São duas semanas pra galgar o futuro, buscar um melhor contrato, renovação. Tem muita coisa que vale nesses dois jogos", disse. "Acima de tudo, é não fazer com outros o que não queríamos que fizessem com a gente. Se a gente estivesse esperando um resultado e o adversário estivesse com time todo alternativo, seria uma forma de desrespeito".
Apesar de pensar nos compromissos que faltam, o futuro é assunto em pauta e, diferentemente do que se imaginava, a renovação com Carpini ainda não foi concretizada e ontem o treinador explicou os motivos. "Já tivemos uma ou duas conversas, mas a gente ainda não se acertou. Claro que tem uma valorização, é justo, mas nada de absurdo. Está dentro da realidade do Guarani e do mercado", confirmou o técnico, sem cravar sua permanência. "Deixa o clube decidir. Se tiver que não estar no Guarani em 2020, saio de alma lavada. Se essa for a decisão, olho para trás com orgulho de tudo que construímos".
Para Carpini, o Guarani precisa aprender com os erros cometidos em 2019 para não sofrer novamente no ano que vem. "Não abro mão de conversar, sempre em comum acordo, e montar este elenco. Dar o aval para atletas em cima do que a gente pensa de características, de identidade do Guarani, de como é jogar no Guarani", destaca. “Que a gente tenha ciência que essa recuperação que aconteceu em 2019 não acontece sempre. Se cometermos os mesmos erros e alguns equívocos de planejamento e montagem, em 2020 vai pagar”.
FICHA TÉCNICA
GUARANI
Jefferson; Lenon, Bruno Silva, Luiz Gustavo e Bidu; Deivid, Lucas Crispim, Arthur Rezende e Rondinelly; Davó e Diego Cardoso. Técnico: Thiago Carpini.
AMÉRICA-MG
Airton; Diego Ferreira, Lucas Kal, Ricardo Silva e João Paulo; Zé Ricardo, Flávio e Juninho; Felipe Azevedo, Matheusinho e Júnior Viçosa. Técnico: Felipe Conceição.
Local: Brinco de Ouro. Horário: 21h30. Juiz: Jean Pierre Gonçalves Lima (RS).
Jogo de hoje vale o ‘Cinturão do Futebol Brasileiro’
Já pensou se o futebol fosse como o boxe, em que o campeão defende seu cinturão e o desafiante tem a oportunidade de derrotá-lo para se tornar o novo número 1? Pois o historiador Michael Serra pensou nisso, produziu um trabalho de pesquisa desde a primeira partida de um torneio oficial no País e o resultado é o "Cinturão do Futebol Brasileiro". E esse 'título' estará em jogo hoje no Brinco de Ouro, com o 'desafiante' Guarani enfrentando o 'campeão' América-MG. O Bugre tem a chance de assumir o lugar da equipe mineira.
O levantamento não tem o reconhecimento da CBF, portanto trata-se de algo simbólico, mas que ajuda a contar a história do futebol no Brasil. A ideia foi inspirada no UFWC (Campeonato Mundial de Futebol Não-Oficial), que define os donos dos cinturões desde 1966 considerando apenas confrontos entre seleções. O trabalho de Serra começou em junho de 2018 e é mais completo.
"Sempre busquei dados para cruzamentos de informações que pudessem gerar conteúdo e pautas no meu trabalho — Serra é historiador do São Paulo Futebol Clube. Assim, catalogo todos os jogos de competição oficial envolvendo clubes brasileiros. Quando veio aquele estalo, eu já tinha mais de cem mil jogos prontos para uso", disse em entrevista ao Correio Popular.
O levantamento começa em 3 de maio de 1902, quando a Associação Atlética Mackenzie derrotou o Germânia por 2 a 1 pelo Campeonato Paulista. A primeira troca de cinturão aconteceu em 4 de outubro, quando o Paulistano fez 3 a 0 no Mackenzie. Em mais de 100 anos, já foram 4.020 disputas até chegarmos ao duelo de hoje em Campinas.
Quem vê de fora pode pensar que colher os dados mais antigos foi tarefa quase impossível, mas o historiador garante que não é bem assim. "Curiosamente, os dados mais difíceis de encontrar não são os mais antigos. Muito conteúdo da origem do futebol no Brasil e dos principais campeonatos já existem em livros e sites", relata.
"Só passei um perrengue forte mesmo com os dados de 1996. Nenhuma fonte tinha resultados da Copa Santa Catarina. Tentei conseguir ajuda com alguns contatos, mas não andou. Desencanei um pouco e toda a ideia ficou parada até fevereiro desse ano, quando resolvi reativar o projeto no 'vai ou racha'. Consegui falar com o Adalberto Klüser, do Blumenau, que me salvou: me mandou a relação completa de jogos da competição. Três dias depois, tudo estava pronto".
O América tornou-se o dono do cinturão no último dia 11, ao derrotar o Cuiabá. O Coelho também se deu bem na primeira defesa, ao fazer 2 a 1 no Vitória. Agora, o desafiante é o Guarani, que precisa vencer, já que o regulamento do Cinturão prevê que o título permanece com o atual vencedor em caso de empate.
O Bugre, aliás, é o 12º clube que mais ficou com o cinturão. Entre conquistas e defesas, são 82 vezes. Só que a última aconteceu em 2010, quando o alviverde assumiu o lugar do Avaí após vitória por 4 a 1 no Campeonato Brasileiro. No jogo seguinte, porém, foi destronado ao perder para o Atlético-MG. Caso consiga o resultado positivo hoje, o Guarani defende o posto na última rodada da Série B, contra o Londrina, tendo a chance de terminar 2019 com o status de dono do Cinturão do Futebol Brasileiro.

Escrito por:

Carlos Rodrigues