Publicado 19/11/2019 - 07h47 - Atualizado 19/11/2019 - 07h47

Por Da Agência Anhanguera

A primeira fase do vestibular da Unicamp, realizada no último domingo, teve uma abstenção geral inferior à do ano passado, caindo de 8,60% para 8,27%

Estadão Conteúdo

A primeira fase do vestibular da Unicamp, realizada no último domingo, teve uma abstenção geral inferior à do ano passado, caindo de 8,60% para 8,27%

A primeira fase do vestibular 2020 da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), realizada no último domingo, foi uma prova “sem grandes dificuldades”, na avaliação dos professores do Curso Pré-Vestibular Oficina do Estudante. Na opinião do diretor do Curso, Marcelo Pavani, “foi uma prova de nível médio para fácil, sem nenhuma questão muito sofisticada”, diz ele. “Não apresentou novidades”, acrescentou. A Comvest divulgará o gabarito das questões amanhã, em sua página eletrônica http://www.comvest.unicamp.br.
A prova da primeira fase já está disponível para consulta na mesma página. A lista de aprovados na primeira fase será divulgada no dia 9 de dezembro, juntamente com os locais de prova da segunda fase e as notas de corte.
A abstenção geral dessa primeira fase foi menor que no ano passado, caindo de 8,60% para 8,27%. Dos 72.862 inscritos, 6.029 candidatos não compareceram para fazer a prova de 90 questões de múltipla escolha. Em Campinas, a abstenção foi de 9,69% e em São Paulo, de 7,58%. Os índices por cidade estão disponíveis na página da Comvest na internet.
Marcelo Paiva, da Oficina do Estudante, considerou a prova composta por 90 questões "de nível médio para fraco"
Os professores do Oficina lembram que a prova de inglês, por exemplo, se caracterizou pela interdisciplinaridade e contou ainda com temas muito atuais, como o Instagram. Em Português apareceu Racionais — obra que, esperava-se, apareceria somente na segunda fase. Física e Química foram provas "bonitas"; a Matemática apresentou "enunciados secos e questões sem nenhuma contextualização".
Veja avaliação dos professores do Oficina sobre a prova de domingo:
 
 
Inglês
Questões interdisciplinares com física; uma outra com uma temática superatual, sobre instagram. E essa é uma característica da prova de inglês, e talvez sugira pro aluno o que vai acontecer na segunda fase. Parece que houve aqui um ensaio de como as questões vão aparecer na segunda fase.
Português
É interessante notar que a gente tem cinco obras da lista cobrada, dentre elas a dos Racionais — uma obra que os alunos estavam esperando na segunda fase, mas que já veio na primeira.
Química e Física
Duas provas bem bonitas, porque todas as questões tinham uma contextualização. Apresentavam situações-problema, e o aluno precisava analisar gráfico, tabela e também figura. Não tinha nenhuma questão direta. Eram contextualizadas.
Matemática
Ao contrário das questões de química e física, teve enunciados secos, questões sem nenhuma contextualização, tipicamente apresentando para o aluno o enunciado, o problema, a equação, ou seja, sem grandes análises.
Biologia
Foi uma prova média, e sem nenhuma questão direta. Todas as questões demandavam análise, ou seja, o aluno precisava refletir e digerir o enunciado pra poder chegar a algum lugar.
História
Chama a atenção, questões envolvendo análise de obra de arte, como Tarsila do Amaral (que teve exposição recente no Masp). Já é uma tendência da Unicamp fazer com que as obras de arte conversem com história.
Estudantes encaram maratona de testes
Para ampliar chances de conseguir a tão sonhada vaga nos cursos mais disputados do País, estudantes enfrentam nas últimas semanas uma maratona de provas, onde têm de resolver 270 questões e se preparam para 15 horas sentados para os exames. Depois do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), os estudantes começaram os vestibulares das universidades estaduais paulistas.
Houve a primeira fase da Universidade Estadual Paulista (Unesp). Domingo passado aconteceu a prova da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e, no próximo domingo, será a vez da Universidade de São Paulo (USP). Para os candidatos, mais do que apenas estudar é preciso preparação física e mental para garantir um bom resultado nos exames. (Estadão Conteúdo)
Segunda fase ocorre em janeiro
A 2ª fase do vestibular 2020 está marcada para os dias 12 e 13 de janeiro e esta será a primeira vez que o formato passa a ter dois dias de prova dissertativa com cinco horas de duração cada um. Até agora, eram três dias, cada um deles com até quatro horas para término. No primeiro dia da segunda fase, serão oito questões de português, duas de inglês e um redação. No segundo, estão previstas seis questões de matemática, duas de ciências da natureza e duas de ciências humanas (interdisciplinares), além de 12 questões específicas da área escolhida pelo candidato.
As Provas de Habilidades Específicas para os cursos de Arquitetura e Urbanismo, Artes Cênicas, Artes Visuais e Dança, serão feitas entre 20 e 24 de janeiro em Campinas.
A divulgação da primeira chamada ocorre em 10 de fevereiro, enquanto que a matrícula (não presencial) será em 11 de fevereiro.
Os estudantes fazem as provas das disciplinas relacionadas com a área dos cursos escolhidos. No entanto, são obrigatórias a todos os candidatos as provas de Língua Portuguesa, Matemática e algumas questões interdisciplinares — incluindo a disciplina de Inglês.
A Redação está mantida na segunda etapa, com duas propostas, exigindo-se a produção de apenas um texto.
Até amanhã, a Comvest (Comissão do Vestibular) está disponibilizando, aos candidatos, um formulário de alteração de dados. As informações que podem ser corrigidas são os seguintes: nome, RG, data de nascimento, telefones, e-mail, ano de conclusão do ensino médio.
SAIBA MAIS
A prova da primeira fase foi composta de 90 questões de múltipla escolha, distribuídas da seguinte maneira: 13 questões de Língua Portuguesa e Literaturas de Língua Portuguesa, 13 questões de Matemática, 9 questões de História e 9 questões de Geografia (incluindo Filosofia e Sociologia), 9 questões de Física, 9 questões de Química, 9 questões de Biologia, 7 questões de Inglês, além das 12 questões interdisciplinares.

Escrito por:

Da Agência Anhanguera