Publicado 19/11/2019 - 07h38 - Atualizado 19/11/2019 - 07h38

Por Gilson Rei

As doses contra o sarampo estão disponíveis nos 66 centros de saúde

Leandro Ferreira/AAN

As doses contra o sarampo estão disponíveis nos 66 centros de saúde

Campinas iniciou ontem a segunda etapa da campanha de intensificação da vacina contra o sarampo. Dessa vez o foco está entre os jovens com idade entre 20 e 29 anos. Muitas pessoas nessa faixa etária têm apenas uma dose contra o sarampo — a segunda foi introduzida em 2005. Segundo a Secretaria de Saúde de Campinas, é necessário ter duas doses registradas na carteira.
Essa fase da campanha visa também intensificar a vacinação para garantir o máximo de cobertura vacinal. A primeira fase aconteceu entre 7 e 25 de outubro e foi voltada para crianças de seis meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias). A Secretaria informou que as doses estarão disponíveis nos 66 centros de saúde da cidade. A campanha termina em 30 de novembro, que também será o Dia D.
Entre 8 de julho e 14 de novembro, foram registrados 102 casos em Campinas. A maioria foi em crianças: 30 são em menores de um ano; 22 são em crianças entre 1 ano e 4 anos; cinco em crianças entre 5 e 9 anos; e três entre 10 e 14 anos, totalizando 60 casos em crianças.
Jovens e adolescentes seguem em segundo lugar nos casos de sarampo, com 30 confirmações: oito pessoas com idade entre 15 a 19 anos; e outros 22 na faixa etária entre 20 e 34 anos. Adultos seguem com menor incidência de sarampo: com dez pessoas na faixa entre 35 e 49 anos de idade; e dois casos entre 50 e 64 anos. Não houve óbitos.
Neste ano, aproximadamente 85 mil pessoas de todas as faixas etárias tomaram a vacina contra o sarampo em Campinas. A Secretaria de Saúde recomenda que as pessoas com sintomas de sarampo devem procurar imediatamente o atendimento médico e manter o afastamento social. Os sinais incluem febre, conjuntivite, tosse, coriza e vermelhidão no corpo.
Na Região Metropolitana de Campinas (RMC), 226 casos de sarampo foram confirmados. Campinas lidera com 102 registros, seguida por Paulínia, com 23; Vinhedo, com 16; Indaiatuba com 15 e Valinhos com 14 casos de sarampo. Outras 11 cidades da RMC registraram também a doença.

Escrito por:

Gilson Rei