Publicado 15/11/2019 - 19h37 - Atualizado 15/11/2019 - 19h40

Por Henrique Hein

Maquinário da Prefeitura tenta desobstruir a Avenida Theodureto de Almeida Camargo, próximo à Avenida Brasil, onde um flamboyant tombou com a força dos ventos

MatheusPereira/Especial para a AAN

Maquinário da Prefeitura tenta desobstruir a Avenida Theodureto de Almeida Camargo, próximo à Avenida Brasil, onde um flamboyant tombou com a força dos ventos

O temporal que caiu entre a noite desta quinta-feira (14) e a madrugada desta sexta-feira (15) causou muitos estragos em Campinas. Não fosse o dia de feriado da Proclamação da República, os transtornos para a vida cotidiana seriam ainda maiores.
De acordo com a Defesa Civil, o temporal provocou, em menos de 24 horas, a queda de 42 árvores e um destelhamento no bairro Gleba B, sem vítimas fatais ou feridos. A chuva forte, com ventos de até 97,5 km/h, também interrompeu o fornecimento de energia em alguns bairros e trouxe impactos no trânsito da cidade. Entre as regiões afetadas esteve a Vila Industrial, bairro-sede da central de produção do Grupo RAC, o que inviabilizou a edição impressa do Correio desta sexta (o conteúdo foi disponibilizado no ambiente digital por meio de acesso ao site www.correio.com.br)
No começo da manhã de sexta, uma árvore caiu na Avenida Theodureto de Almeida Camargo, no Jardim Nossa Senhora Auxiliadora, por volta das 8h30, e interditou por completo a Avenida Luiz Smânio, que dá acesso à região do Castelo. O trânsito ficou todo concentrado na Avenida Brasil e os reflexos atingiram a Rodovia Zeferino Vaz (SP-332), no trecho conhecido como Tapetão. Foram necessárias cerca de três horas para que o fluxo de veículos voltasse a normalidade.
Além da Theodureto, outras vias importantes do município também foram bloqueadas. Somente na quinta-feira, foram registradas quedas de árvores nas regiões do Jardim Flamboyant, Jardim Chapadão, Parque Valença 1, Jardim Santa Rita de Cássia, Vila Costa e Silva, distrito de Sousas, Parque Dom Pedro II, Vila 31 de Março, Satélite Íris I, Chácaras São Martinho e Vila Industrial. Na Avenida Francisco de Paula Souza, no Jardim São Vicente, uma árvore chegou a cair em cima de um veículo, mas ninguém se feriu.
Acumulado de chuvas
O acumulado de chuvas dos últimos três dias, em Campinas, representou 40,3% do esperado para todo o mês de novembro. De acordo com o Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (Cepagri) da Unicamp, a média histórica para o mês é de 162,3 milímetros de chuva, mas, somente entre as manhãs de terça e sexta-feira, foram 65,5 milímetros computados.
Segundo o instituto, a previsão é que as chuvas deem uma trégua a partir de hoje, com o retorno do tempo firme e do Sol. Para hoje, os ventos estarão moderados durante todo o dia e as temperaturas devem ficar entre os 16 e 26 graus. Já amanhã, a expectativa é de uma amplitude térmica ainda maior, com mínimas mais baixas e máximas um pouco mais elevadas, podendo atingir os 30 graus.
 

Escrito por:

Henrique Hein