Publicado 01/11/2019 - 07h52 - Atualizado 01/11/2019 - 07h52

Por Gilson Rei

O condomínio onde ocorreu o crime, na noite de terça-feira: advogado, que morava com os pais, fugiu logo depois do assassinato e se entregou à polícia: avanço da violência

Wagner Souza/AAN

O condomínio onde ocorreu o crime, na noite de terça-feira: advogado, que morava com os pais, fugiu logo depois do assassinato e se entregou à polícia: avanço da violência

O crime de feminicídio ocorrido na terça-feira passada teve características de frieza e ódio por parte do autor, o advogado Felipe Faccio Moretti, de 31 anos. Peritos do Instituto de Criminalística constataram 16 perfurações no corpo da esteticista Ana Mahas Zaher, de 38 anos, sexta vítima de feminicídio em Campinas no ano.
As perfurações, segundo os peritos, devem ser resultado de seis tiros que entraram e saíram, causando ferimentos em locais diferentes. Os peritos constataram também que os ferimentos foram provocados por disparos de uma pistola semiautomática, de calibre 380, que atingiram o tórax, os braços e as costas da esteticista.
A análise técnica-jurídica feita pelo delegado de Polícia Civil, Ivan Luís Constâncio, concluiu que o autor deveria ser autuado em flagrante por homicídio qualificado por motivo fútil com a qualificação de feminicídio. Na quarta-feira, Moretti confessou ter atirado na noite anterior contra a namorada, após uma discussão na residência dele, no Residencial Palmeiras-Hípica. Ana foi até o local para conversar com o namorado depois de um jantar, houve uma discussão e ela foi atingida por disparos de arma, morrendo no local. Moretti chegou a fugir, mas decidiu se entregar após contato com a mãe.
Os policiais acharam no carro do advogado a arma usada para fazer os disparos e duas facas. A pistola tinha dez munições intactas e havia mais um carregador de munição sobressalente, com outras 17 balas. Ele tem registro de porte de arma e curso de atirador desportivo. O advogado foi preso em flagrante e internado no Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp porque teve um ferimento no ombro após atirar contra o próprio corpo durante o crime. Ele teve alta na manhã de quarta-feira e foi para a delegacia.
No período da noite de quarta-feira, Moretti teve a prisão temporária convertida em preventiva (sem prazo definido) e foi levado ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de Hortolândia.
O corpo da esteticista foi enterrado ontem em São Lourenço, no Sul de Minas Gerais.

Escrito por:

Gilson Rei