Publicado 23/11/2019 - 06h00 - Atualizado 22/11/2019 - 14h32

Por Do Correio

Casa destruída no Jd. Eulina

Reprodução

Casa destruída no Jd. Eulina

OLHE AQUI, AS CASAS QUE A CHUVA ESTRAGOU
Primeiro foi a chuva muito forte, depois o vento, assobiando nas janelas, de repente, na casa de dona Laura Ribeiro Soares, na Vila Boa Vista, o telhado e o madeirame da área voaram, caindo sobre duas unidades da rua de trás. Quase ao mesmo tempo, na Vila Castelo Branco, 18 outras casinhas populares sofriam o efeito do temporal: telhas voando, janelas batendo forte, antenas de rádio e televisão retorcidas sobre o teto. Bem na frente, no Jardim Paulicéia, os três cômodos que José Maria, pedreiro de profissão construiu sozinho ficaram reduzidos a um só, sem telhado. Mais adiante, no Jardim Eulina, à beira da Via Anhanguera, outra construção vinha abaixo, deixando uma família de cinco pessoas sem abrigo. Em cinco minutos a chuva diminuiu, o vento desapareceu.
 
COMPOSITOR PIANISTA CAMPINEIRO NOS EUA
Campinas, terra de pianistas de brilhante carreira, cujos nomes já foram elevados aos cartazes internacionais como Ana Stela Schic, Stelinha Epstein, Daysi de Luca, Ilára Gomes Grosso, conta ainda no ról de seus ilustres filhos musicistas com Bernardo Segall, há muitos anos residente nos E.E.U.U. onde desfruta grande prestígio corno virtuosa do teclado e compositor. Desde criança demonstrando seus pendores para a arte, exibiu-se com sucesso em nossos salões. Aos nove anos, um concerto realizado no Clube Semanal de Cultura Artística, como discípulo do notável professor J. Kliass, executou uma inspirada valsa de sua autoria.
 
O FOGUETE APOLO-12 DESCE AMANHÃ NO PACÍFICO
Com velocidade superior a 3.000 quilômetros horários, a cápsula Apolo-12 vôou em direção à Terra, dentro dos planos previstos, devendo descer na segunda-feira, em área já escolhida no Oceano Pacífico. Pouco depois das 21 horas GMT de ontem, quando se encontrava na trajetória de retôrno à Terra e a 1.450 km da Lua, Apolo-12 transmitiu diretamente algumas tomadas de vistas do astro noturno. Alan Bean recomendou ao Centro Espacial de Houston que olhassem principalmente do lado direito da tela de televisão, no qual se distinguia perfeitamente a linha que separa a zona luminosa e a zona escura da Lua.

Escrito por:

Do Correio