Publicado 09/11/2019 - 01h42 - Atualizado 09/11/2019 - 01h42

Por AFP


Unidades da polícia nas cidades de La Paz, Santa Cruz, Sucre e Cochabamba se rebelaram nesta sexta-feira (8) contra o polêmica vitória eleitoral do presidente Evo Morales, que denunciou um "golpe" em andamento na Bolívia.

A revolta teve início em Cochabamba, quando um policial com o rosto coberto anunciou no Quartel-General da Unidade Tática de Operações: "Estamos amotinados".

Outro policial acrescentou: "Vamos estar com o povo, não com os generais".

Em Sucre, capital de Chuquisaca, agentes da polícia anunciaram em seguida seu apoio à revolta. "Não podemos seguir com este "narcogoverno", com esta democracia injusta".

Os agentes do comando de Santa Cruz fecharam a unidade e vários policiais subiram no teto do prédio com bandeiras bolivianas, como os rebelados em Cochabamba, e na noite de sexta-feira a revolta teve a adesão de diversas guarnições de La Paz.

Morales reagiu denunciando um golpe de Estado "em andamento" após se reunir com parte do seu gabinete.

"Irmãos e irmãs, nossa democracia está sob risco de um golpe de Estado colocado em andamento por violentos que atentam contra a ordem constitucional. Denunciamos à comunidade internacional este atentado contra o Estado de direito", tuitou o presidente de esquerda.

"Convoco o nosso povo para cuidar pacificamente da democracia e da CPE (Constituição Política do Estado) para preservar a paz e a vida como bens supremos,acima de qualquer interesse político".

O ministro da Defesa, Javier Zavaleta, informou que o governo não ordenará uma operação militar contra os policiais revoltados.

"Não vai haver qualquer operação militar neste momento, isto está totalmente descartado", declarou Zavaleta à imprensa sobre os amotinados.

Milhares de manifestantes foram às unidades policiais de La Paz, Potosí, Cochabamba e Trinidad para incentivar os policiais à revolta.

A rebelião ganhou força com imagens de TV de policiais no alto do prédio do quartel da polícia UTOP de Cochabamba, enquanto dezenas de jovens opositores se amontoavam nos arredores, saudando-os da rua.

Na Avenida Prado, a principal de La Paz, dezenas de policiais se uniram a manifestantes opositores na noite desta sexta-feira para exigir a saída de Morales.

Em diversos bairros de La Paz, os policiais voltaram para seus quartéis, enquanto a multidão grita: "policial, amigo, o povo está contigo".

Manifestantes se concentraram diante do Colégio Militar de La Paz para pedir aos alunos que se unam à cruzada pela renúncia de Morales.

Escrito por:

AFP