Publicado 10/10/2019 - 11h09 - Atualizado 10/10/2019 - 11h09

Por Da Agência Anhanguera

Saguão de entrada da Academia Campinense de Letras: Novos membros

Cedoc/RAC

Saguão de entrada da Academia Campinense de Letras: Novos membros

Os jornalistas José Roberto Martins Pereira e Gustavo Osmar Corrêa Mazzola e o professor universitário Antônio de Pádua Báfero são os novos acadêmicos eleitos para a Academia Campinense de Letras (ACL). Os três novos acadêmicos são colaboradores do jornal Correio Popular. Eles foram eleitos pela comissão eleitoral composta pelos acadêmicos Luís Carlos Cândido Martins Sotero da Silva, Jorge Alves de Lima, Ana Maria Melo Negrão, Luno Volpato e Carlos Alberto Marchi de Queiroz, em reunião realizada no último dia 8.
Os acadêmicos vão ocupar as cadeiras de números quatro, 14 e 17 (dezessete). José Roberto Martins Pereira foi eleito para a cadeira quatro, cujo patrono é Afrânio Peixoto e vaga pela ascensão do acadêmico João Ribeiro Júnior à condição de Acadêmico Emérito, conforme disposto no artigo 12º parágrafo único do Estatuto Social. José Roberto também é radialista e professor. Ele escreve às sextas-feiras na editoria de Cidades.
Gustavo Osmar Corrêa Mazzola passa a ocupar a cadeira de número 14, que tem como patrono Bernardo de Souza Campos, vaga em razão do falecimento do acadêmico Pedro Bondaczuck. Mazzola mantém espaço quinzenal, com suas crônicas, à página 2 do jornal, editoria de Opinião.
Antônio de Pádua Báfero ocupa a cadeira 17, cujo patrono é Afonso de Taunay, em vista da ascensão do acadêmico Rubem Costa à condição de Acadêmico Emérito, conforme disposto no artigo 12º parágrafo único do Estatuto Social.
Professor universitário e ex-secretário municipal de Esportes, Pádua foi vencedor no concurso de contos do Correio em 25 de maio de 1969. Autor de vários livros e artigos, é colaborador do Correio na página de Opinião.

Escrito por:

Da Agência Anhanguera