Publicado 31/10/2019 - 07h28 - Atualizado 31/10/2019 - 07h29

Por Gilson Rei

O condomínio onde ocorreu o crime, na noite de terça-feira: advogado, que morava com os pais, fugiu logo depois do assassinato e se entregou ontem à polícia: avanço da violência

Wagner Souza/AAN

O condomínio onde ocorreu o crime, na noite de terça-feira: advogado, que morava com os pais, fugiu logo depois do assassinato e se entregou ontem à polícia: avanço da violência

O 12º feminicídio da Região Metropolitana de Campinas (RMC) neste ano foi registrado na noite de terça-feira, em um condomínio no Jardim das Palmeiras, em Campinas, próximo à Sociedade Hípica. Essa foi a sexta ocorrência de feminicídio em Campinas, que lidera as estatísticas desse de crime na RMC, com 50% dos casos. Os outros seis feminicídios foram registrados em Pedreira, Cosmópolis, Santo Antonio de Posse, Santa Bárbara d'Oeste, Sumaré e Hortolândia.
Ontem, o advogado Felipe Faccio Moretti, de 31 anos, confessou ter atirado na noite anterior contra a namorada, Ana Mahas Zaher, esteticista de 38 anos, após uma discussão na residência dele, no Residencial Palmeiras Hípica.
Ana foi até o local para conversar com o namorado depois de um jantar, houve uma discussão e ela foi atingida por quatro disparos de arma calibre 380, morrendo no local. Moretti chegou a fugir, mas decidiu se entregar após contato com a mãe.
O advogado foi preso em flagrante e internado no Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp porque teve um ferimento no ombro após atirar contra o próprio corpo durante o crime. Ele teve alta na manhã de ontem e foi para a delegacia. Em seguida, foi encaminhado ao Centro de Detenção Provisória de Hortolândia.
A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP) informou, em nota, que além da arma usada no crime, duas facas foram encontradas no carro dele. Ainda segundo a nota, o advogado relatou à polícia que teve uma discussão com a namorada após retornarem de um jantar e que ele efetuou os disparos.
Segundo a Polícia Militar, Moretti é atirador e reside com os pais no condomínio de luxo. No dia do crime, os pais não estavam próximos. Ainda segundo a polícia, Ana já tinha um histórico de homens violentos em sua vida. Ela chegou a registrar dois boletins de ocorrência contra o ex-marido — um por ameaça e outro por agressão — quando morava em São Lourenço, Minas Gerais.
O assassinato foi registrado no plantão da 2ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) da cidade como feminicídio e violência doméstica, mas será investigado pela 1ª DDM.
FEMINICÍDIOS NA RMC EM 2019
3 de janeiro – Pedreira
A comerciária Queli Aparecida de Simon, de 39 anos, foi sequestrada em frente à padaria em que trabalhava. Depois foi estrangulada com um lençol em um motel em Jaguariúna. O autor do crime, Edmilson Manoel Jardim, de 43 anos, foi preso.
4 de janeiro – Campinas
Milena Optimara Soares Cardenas, de 13 anos, foi morta com um tiro na perna no Jardim Flamboyant, pelo namorado de 17 anos. Ela chegou a ser socorrida ao Hospital Municipal Doutor Mário Gatti, mas morreu durante a cirurgia.
27 de fevereiro – Campinas
A comerciante Nice Romualdo Vieira, de 51 anos, foi morta no local de trabalho, no Parque Vista Alegre. O ex-namorado, Moacir Zanella, de 53 anos, chegou ao local, fechou as portas e ateou fogo. O autor morreu dias depois.
6 de março – Sumaré
Uma mulher de 44 anos foi esfaqueada pelo marido, de 38 anos, dentro de um condomínio no Jardim Bela Vista, e morreu no local.
12 de março – Campinas
Fátima Aparecida Bertoline, de 40 anos, morreu após passar cinco dias internada na Santa Casa de Campinas. Ela teve o corpo queimado, pelo namorado Sandro Joel do Nascimento, de 40 anos, que foi preso próximo ao crime.
1 de maio – Cosmópolis
Uma mulher de 37 anos foi morta a tiros pelo ex-marido à noite.
11 de maio – Campinas
Thaís Fernanda Ribeiro, de 21 anos, morreu baleada com 11 tiros pelo ex-namorado, de 23 anos, em uma área de ocupação, na região do Techno Park, nas proximidades do CDHU San Martin.
21 de maio – Campinas
Sabrina Braz Barbosa, de 28 anos, foi morta a tiros na Avenida Celso Silveira Rezende, na região do São Bernardo, por um ex-namorado.
7 de agosto - Nova Odessa
Sidmara Oliveira da Silva, de 25 anos, foi encontrada morta com toalha enrolada no pescoço. O fisiculturista Lucas Ribeiro Ramos, de 22 anos, morador de Americana, confessou que matou a garota por não aceitar o fim do relacionamento.
26 de agosto - Santo Antônio de Posse
Leandro Aparecido Vieira da Costa, auxiliar de serviços gerais de 35 anos, foi preso em flagrante após matar a companheira, Ana Paula Roque, de 27 anos, a facadas. O crime aconteceu na casa do casal, na Vila Esperança. O autor foi preso em um bar, pouco tempo após o crime.
24 de outubro – Hortolândia
Um casal foi morto a tiros dentro de uma residência, no Jardim Amanda I, em Hortolândia: Rafael Martins Nobre, de 29 anos, e Fernanda Dias Marques de Souza, de 26, foram baleados. O ex-companheiro de Fernanda, Célio Marques de Souza, de 31 anos, cometeu o crime. Após efetuar os disparos, Célio fugiu do local em uma Kombi e se suicidou.

Escrito por:

Gilson Rei