Publicado 18/10/2019 - 11h13 - Atualizado 18/10/2019 - 11h13

Por Daniel de Camargo

Pacientes e acompanhantes são orientados por meio de uma cartilha, onde são detalhados os procedimentos e tudo o que está envolvido no tratamento: equipe multidisciplinar

Matheus Pereira/Especial para a AAN

Pacientes e acompanhantes são orientados por meio de uma cartilha, onde são detalhados os procedimentos e tudo o que está envolvido no tratamento: equipe multidisciplinar

Desde que iniciou suas atividades dez anos atrás, em abril de 2009, o Centro de Quimioterapia Ambulatorial da Unimed Campinas (CQA) instalado na Rua Camargo Paes, 198, Jardim Guanabara, tem uma preocupação central, segundo o presidente da Unimed, João Lian Júnior: oferecer a melhor assistência com a maior segurança e qualidade possível. A equipe de colaboradores, destaca, é capacitada continuamente. As salas de infusão, onde o medicamento é injetado nos pacientes, têm acomodações para acompanhantes e uma equipe de especialistas de plantão.
João Lian Júnior, presidente da Unimed: "Não é uma questão comercial"
“O paciente é atendido por uma equipe multidisciplinar formada por profissionais qualificados”, afirma. Além de enfermeiros, farmacêuticos e médicos, o CQA tem como diferencial uma educadora física que orienta e acompanha os enfermos em tratamento para realizarem atividades físicas, o que garante uma melhor qualidade de vida. São atendidas as áreas da Fisioterapia, Psicologia e Nutrição.
“Outra ação que mostra a preocupação com o paciente é o serviço de pós-aplicação. No dia seguinte à infusão, um enfermeiro liga para a casa da pessoa para saber notícias de como passou após o procedimento e como está se sentindo”, elogia João Lian.
O presidente explica que ao chegar pela primeira vez para o tratamento, o paciente recebe sua cartilha de orientação sobre os procedimentos da quimioterapia, suas ações e reações. Com o manual em mãos, enfatiza, o usuário pode conferir como são e como agem os medicamentos que está recebendo. “É detalhado ainda como funcionam os acompanhamentos psicológico, fisioterápico, de educação física e nutricional, os efeitos colaterais, cuidados especiais no dia da infusão do medicamento e outras informações importantes”, menciona. A orientação correta, analisa o gestor da Unimed, quebra alguns mitos e prepara o paciente para o tratamento.
Como funciona?
Lian enfatiza que esses pacientes passam por uma avaliação clínica anterior à aplicação, para que o grupo de enfermagem se certifique de que estão aptos a receber medicamentos nesse dia. “Então, recebem sua pulseira, cuja cor é um indicativo de algumas especificidades do tratamento, como risco de queda ou de alergia, entre outras”, pontua. 
Quando liberados, esclarece, aguardam a manipulação personalizada de seu medicamento, que é feita somente no momento da aplicação, evitando ao máximo qualquer possibilidade de variação externa ou contaminação. O medicamento que vai ser manipulado, assegura, já foi criteriosamente checado na sua chegada (sob qualquer risco de não estar 100%, o medicamento é rejeitado, inutilizado e devolvido ao fabricante) e está acondicionado em condições ideais de refrigeração e imunização ambiental. “Os farmacêuticos responsáveis pela manipulação trabalham em uma sala completamente esterilizada por filtros de ar e em temperatura adequada”, tranquiliza.
Os medicamentos preparados, completa, só descem para a aplicação no momento em que o paciente estiver pronto. “O caminho que percorre é completamente imunizado e longe de qualquer possibilidade de contaminação com outro material”, garante. De acordo com o presidente, essas e outras precauções são minuciosamente realizadas para que o procedimento como um todo seja perfeito. Contudo, Lian informa que “bem no coração do CQA existe uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) completamente equipada e pronta para qualquer emergência”.
Pioneiro em certificação na RMC o CQA atende todos os clientes da Unimed Campinas acometidos de câncer. Desde janeiro de 2014, é acreditado em nível de Excelência pela Organização Brasileira de Acreditação (ONA), instituição com sede em Brasília, credenciada pela Sociedade Internacional de Qualidade (IsQUA), um dos principais órgãos de auditoria de qualidade do mundo.
“Por isso mesmo, tornou-se um serviço de referência na Região Metropolitana de Campinas (RMC) e no Brasil”, pondera João Lian. “Para a Unimed Campinas, conquistar acreditação não é uma questão comercial. O propósito é mostrar aos clientes que, em relação ao tratamento oncológico, eles estão recebendo o que há de melhor e mais moderno”, completa.
Depoimento
A jornalista Adriana Leite, que descobriu um câncer em 2016: "gratidão"
A jornalista Adriana Leite contextualiza que descobrir um câncer “é como cair em um abismo sem direito a nada para amortecer a queda”. Ela tomou ciência de um câncer de mama em janeiro de 2016. “Isso mudou minha vida”, recorda. “Quando o médico me disse que precisaria começar a quimioterapia com urgência, imaginei que iria para um lugar cheio de gente sofrendo”, relembra. “A palavra quimioterapia amedronta e eu nunca tinha entrado em um centro de tratamento”, comenta. Adriana Leite iniciou as sessões no Centro de Quimioterapia (CQA) da Unimed em fevereiro de 2016.
Na primeira sessão, recorda, foi recebida com toda atenção. “O ambiente era sereno e acolhedor”, elogia. Em suas palavras, a estrutura permitia que os procedimentos fossem realizados de forma confortável para ela e os familiares que a acompanhavam. “Com o passar do tempo, os enfermeiros e até a querida mocinha do cafezinho já sabiam dos meus gostos”, relembra.
“Formamos uma grande família que chora, ri, comemora, entristece e luta junto”, salientou. Adriana segue em tratamento. No momento, faz quimioterapia oral, ou seja, toma um comprimido por dia. Ela segue indo no CQA para consultas periódicas com o oncologista. A fase do ciclo de quimioterapia venal foi encerrado em agosto de 2016. “Agradeço pelo amparo, o cuidado e o profissionalismo de todos que formam a equipe do CQA da Unimed Campinas”, encerra.
Sumaré abriga a 2ª unidade do ambulatório
A segunda unidade do Centro de Quimioterapia Ambulatorial (CQA) da Unimed Campinas, instalada em espaço anexo ao Pronto Atendimento Unimed, em Sumaré, entrou em funcionamento dia 25 de junho de 2018. A unidade foi criada para unificar o atendimento dos pacientes oncológicos residentes em Hortolândia, Sumaré, Cosmópolis, Monte Mor e Paulínia, bem como dos clientes de outras Unimeds em tratamento de câncer na singular de Campinas por meio do Intercâmbio Nacional Unimed.
O serviço oferece todos os diferenciais de humanização reconhecidos e valorizados pelos clientes e familiares. As instalações ocupam uma área de 500 metros quadrados e dispõem de uma ampla sala de infusão quimioterápica com 20 poltronas reclináveis e acomodação para acompanhante. Embora os que residem na microrregião de Sumaré mais os de outras singulares Unimeds representem cerca de 30% do total ou aproximadamente 350 pacientes, a expansão aumentou a oferta de atendimento em 60%. 
Também certificado pela Organização Nacional de Acreditação, o Pronto Atendimento que abriga a primeira unidade do CQA fora de Campinas presta aos clientes oncológicos o atendimento de excelência que se mantém desde que o Centro foi criado, há 10 anos. Isso, sem contar a facilidade de acesso do novo endereço, a segurança, o estacionamento amplo e gratuito e a tranquilidade de estar ao lado de um serviço com recurso para urgências e emergências médicas.

Escrito por:

Daniel de Camargo