Publicado 09/10/2019 - 07h25 - Atualizado 09/10/2019 - 07h25

Por Alenita Ramirez

O fechamento do túnel deveria durar apenas um mês, período que se estendeu por um ano e meio: reabertura pode ocorrer na próxima semana

Matheus Pereira/Especial para a AAN

O fechamento do túnel deveria durar apenas um mês, período que se estendeu por um ano e meio: reabertura pode ocorrer na próxima semana

A reabertura do Túnel de Pedestres do complexo ferroviário na Vila Industrial, em Campinas, está prevista para os próximos dias. O local foi fechado para reforma em março do ano passado, mas a obra acabou e o acesso seguiu bloqueado. Apesar de a Prefeitura não informar datas, o vereador Jorge Schneider (PTB) disse que a reabertura ocorrerá possivelmente na próxima semana.
Construído em 1918, o túnel tem uma passagem subterrânea de 200 metros de extensão que liga a Vila Industrial ao Centro. Tombado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Artístico e Cultural (Condepacc) junto com o complexo ferroviário da região central, o túnel remete ao começo do século 20, na “era de ouro” das ferrovias. No entanto, o local é alvo constante de vândalos e de pichadores.
A última reforma antes das obras realizadas no ano passado aconteceu em 2002. Ele estava com infiltrações nas paredes, desníveis no chão, sujeira, além de lâmpadas queimadas. A obra de manutenção começou no dia 6 de março de 2018 e o prazo para reabertura, na época, era dia 6 de abril — um mês depois. Além da pintura, o piso e a alvenaria do túnel foram recuperadas. Também foi aplicada uma resina nas paredes de tijolo à vista nas entradas e a iluminação foi reforçada. A obra custou R$ 30 mil aos cofres públicos. Devido ao vandalismo, a Administração alegou, na ocasião, que não reabria porque estudava medidas de segurança para o local.
De acordo com a Prefeitura, há negociações entre as pastas de Serviços Públicos, de Cultura e de Segurança para que a reabertura do local seja efetiva, e sem mais registros de vandalismo. Para tanto, estuda-se a instalação de mais três câmeras de segurança (já existem duas) e do patrulhamento da Guarda Municipal (GM). Segundo Schneider, também ficou definido o trabalho de manutenção diária por um funcionário. O túnel deverá também ter horário de “funcionamento”. Ele deverá ficar aberto entre 6h e 20h.
“Vai ser muito bom a reabertura. Eu trabalho perto do Mário Gatti e antes acessava o túnel para chegar no meu trabalho mais rápido. Com o fechamento, fui obrigada a pegar ônibus e isso me toma um certo tempo”, disse a professora Thais Santos.
Não há números de quantas pessoas passam pelo local, mas acredita-se que centenas de usuários utilizam o local para travessia entre as ruas Lidgerwood, ao lado da Estação Cultura, e Antônio Manuel, na Vila Industrial.
Atualmente, quem precisa fazer a travessia da Estação Cultura para a Vila Industrial (e vice-versa) tem de caminhar quase dois quilômetros para chegar ao destino desejado, fazendo o contorno pela Estação Cultura, Viaduto Miguel Vicente Cury, Avenida João Jorge, Rua Francisco Teodoro e, finalmente, Rua Antônio Manuel, que liga à Rua Sales de Oliveira. Ou seja, um trajeto quase dez vezes maior que os dos 200m de extensão do túnel.

Escrito por:

Alenita Ramirez