Publicado 08/10/2019 - 09h26 - Atualizado 08/10/2019 - 09h26

Por Daniel de Camargo

Líder do Governo no Congresso foi homenageada no HC

Leandro Torres/AAN

Líder do Governo no Congresso foi homenageada no HC

A deputada federal e líder do Governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL), rechaçou as investidas do colega de partido e também deputado federal, Eduardo Bolsonaro (PSL), ontem, em Campinas, reafirmando que vai disputar a Prefeitura de São Paulo em 2020. A parlamentar disse que a Executiva Nacional do PSL garantiu sua candidatura ao pleito. Se houver divergência, ameaça, pode aceitar um de cinco convites recebidos de outras legendas, que preferiu não revelar. 
"Não posso permitir que São Paulo caia nas mãos de um candidato da esquerda", esbravejou. A forte oposição a sua candidatura é articulada por Eduardo Bolsonaro, que comanda o diretório paulista. Nos bastidores, ele trabalha com apoio do pai, que não gosta da proximidade entre Joice e o governador do Estado de São Paulo, João Doria (PSDB).
Por isso, entre outras ações, como a recriação do diretório municipal, Eduardo Bolsonaro não esconde que o deputado estadual Gil Diniz (PSL) e tido como seu braço-direito, é um dos nomes avaliados para tentar a cadeira de chefe do Executivo paulistano. Joice frisou que, apesar da boa relação com Doria, construída bem antes de sua entrada no cenário político, optou por ficar ao lado de Bolsonaro.
Oito anos mais velha, Joice, de 41, chamou Diniz de "menino" e disse que ele não tem a musculatura ou o preparo necessário para administrar uma cidade como São Paulo. Em sua avaliação, ela é a melhor opção para representar a direita. Em Campinas, a deputada federal visitou o Hospital de Clínicas da Unicamp, onde foi homenageada. Joice destinou emenda parlamentar de R$ 1 milhão em favor do HC.

Escrito por:

Daniel de Camargo