Publicado 27/10/2019 - 06h00 - Atualizado 25/10/2019 - 14h56

Por Do Correio

O ator Carlos Miranda durante entrevista

Reprodução

O ator Carlos Miranda durante entrevista

CARLOS MIRANDA FALA SOBRE "MORTE E VIDA SEVERINA"
Para uma entrevista exclusiva concedida ao Correio Popular, esteve ontem em nossa redação, o ator principal de "Morte e Vida Severina", Carlos Miranda. Ele nasceu em Belém do Pará. Naquele Estado fez seus estudos, bacharelando-se em Direito no ano de 1960. Em 58, participou da primeira montagens realizada desta peça — que estará em cartaz na próxima quarta-feira em nossa cidade — que foi levada no I Festival de Teatro do Estudante em Recife. Terminando seus estudos, Carlos Miranda mudou-se para o Rio e participou no Teatro de Arena com a peça Revolução na América do Sul. Falando sobre Morte e Vida Severina, diz Carlos Miranda, "tratar-se de um dos melhores textos de nossa dramaturgia mui-to embora em forma de poema.
 
CÂMARA FEDERAL: 173 DEPUTADOS NO GRANDE EXPEDIENTE
O grande expediente da sessão de hoje da câmara dos deputados terminou mais cedo. O terceiro orador inscrito não compareceu e os demais deputados não quiseram fazer uso da palavra fazendo com que o presidente encerrasse o grande expediente, com 173 deputados presentes, com quorum portanto, passou-se ao exame dos projetos constantes da ordem do dia. O deputado Antonio Bresolin (MDB-RS) ocupou por duas vêzes a tribuna da câmara, sendo a primeira no início dos trabalhos, quando, lendo um telegrama que lhe foi enviado pelo Ministério dos Transportes relacionado à conclusão do ramal ferroviário Passo-Fundo-Rosa Salles, em seu Estado, ensejou ao orador a condenação do parecer dos técnicos da Pasta Ministerial a uma maior extensão dos ramais ferroviários.
 
TRÊS PRISIONEIROS AMERICANOS SERÃO LIBERTADOS
Três prisioneiros de guerra norte-americanos serão libertados em data proxima pela Frente Nacional de Libertação (FNL), anunciou esta manhã a radio dessa organização captada em Saigon. Os prisioneiros serão três soldados da divisão "Americal", cujos números de matricula e nomes foram citados pela "Radio Liberacion", durante um de seus boletins noticiosos em idioma vietnamita. Nenhuma menção de tal decisão foi formulada pela emissora em seus programas de hoje em idioma francês.

Escrito por:

Do Correio