Publicado 25/10/2019 - 06h00 - Atualizado 23/10/2019 - 14h35

Por Do Correio

Programa anual de instrução militar

Reprodução

Programa anual de instrução militar

CONGRESSO ELEGE HOJE MÉDICI E RADEMACKER
O General Garrastazu Médici poderá ser eleito presidente da República com quase 300 votos, se todos os parlamentares da ARENA que estão em condições de votar comparecerem à sessão do Congresso na tarde de amanhã. Por motivos de saúde, seis membros da ARENA já comunicaram que não poderão comparecer. O colégio eleitoral que funcionará amanhã é integrado de 380 parlamentares — 321 deputados e 59 senadores. Destes, a ARENA conta com 255 deputados e 44 senadores. O MDB, com 66 deputados e 14 senadores. Por motivo de enfermidade ou licença, vários deles estarão ausentes, mas seus suplentes poderão votar. Por haver manifestado desejo de não mais disputar reeleição, vários deputados deverão votar pela ultima vez em eleições presidenciais indiretas.
 
ESPCEX FÊZ MARCHA DE 24 QUILÔMETROS
A Escola Preparatória de Cadetes do Exército, estabelecimento único do gênero em tôda a rêde de ensino do Exército, realizou ontem a sua marcha de 24 quilômetros, uma das etapas principais do programa anual de instrução militar. Participaram cerca de 900 soldados, oficiais, sargentos e alunos, sob o comando do nôvo comandante, cel. Milton Teixeira Rosa, que recentemente assumiu ao comando da EsPCEx e da Guarnição Militar de Campinas. A longa marcha foi iniciada as 13,30 horas da própria sede.
 
JIMENEZ VÊ POSSIBILIDADE DE GOLPE NA VENEZUELA
A possibilidade de um golpe de Estado na Venezuela foi anunciada ontem aqui pelo ex-presidente Marcos Perez Jimenez em entrevista à imprensa. Deu a entender que essa eventualidade se inscreve no quadro da maré nacionalista que surgiu na América Latina, cujos povos lutam por sua libertação econômica. Manifestou também ter dirigido uma mensagem ao seu partido, a Cruzada Cívica Nacionalista, que iniciou ontem uma convenção na Venezuela, e que o governo Caldera ainda não havia atendido às aspirações populares. Interrogado, o ex-presidente diz que não vê a impossibilidade de que haja um golpe.

Escrito por:

Do Correio