Publicado 16/10/2019 - 06h00 - Atualizado 15/10/2019 - 14h29

Por Do Correio

Professor Ernesto Alves Filho, orador oficial do C.C.L.A.

Reprodução

Professor Ernesto Alves Filho, orador oficial do C.C.L.A.

REABERTO O CENTRO DE CIÊNCIAS, LETRAS E ARTES
Foi reaberto ontem, com solenidades simples, o Centro de Ciência, Letras e Artes, que durante dez meses permaneceu fechado para receber uma reforma geral, que o presidente Marino Zigiatti desenvolveu, num valor básico de 100 mil cruzeiros novos, e que se faziam necessárias há vários anos. A principal modificação aconteceu no antigo auditório, totalmente remodelado, podendo receber agora 250 pessoas sentadas num anfiteatro dotado de ar condicionado e tratamento acústico. Outras reformas, particularmente na fachada, entrada, secretaria e salão de leitura, deram melhores condições ao CCLA que agora poderá realizar suas promoções culturais dentro de um esquema mais bem cuidado. Outra falha antiga, agora sanada, diz respeito ao camarim dos artistas que venham a se exibir no auditório, e que não existia.
 
EGRESSOS DO PRESÍDIOS TÊM EMPREGO NA PREFEITURA
Em Campinas, os ex-presidiários, têm vez agora. Isto, é claro, de acôrdo com a gravidade do que o levou à cadeia, e o seu comportamento quando prêso. O Juiz José Maria de Azevedo Machado, em contato com o prefeito Orestes Quércia, expôs ao chefe do Executivo local os problemas que encontram os ex-presidiários, quando saem da prisão. Os empregos são muito mais difíceis para esses elementos que ficam praticamente marginalizados somente porque tem uma passagem pela Polícia. Os empregadores não querem saber qual o motivo que o levou a cometer o crime que o condenou, ou qual o seu comportamento quando prêso. E muito menos ainda o que êle pensa depois de ter saído da prisão, se será um homem honesto ou não.
 
MILHÕES DE AMERICANOS PROTESTAM CONTRA A GUERRA
Milhões de Norte-Americanos de todas as idades e todas as condições realizaram manifestações, hoje pacificamente, de um extremo a outro do país, afirmando sua oposição à guerra do Vietnam. As manifestações foram realizadas nas ruas das cidades e dos povoados, nos jardins dos colégios e das Universidades, nos tempos religiosos, nas praças situadas em frente aos parlamentos dos Estados e nas proximidades do Capitólio e da Casa Branca. Todo este grande movimento foi lançado com um propósito: pressionar o presidente Nixon para que termine com a guerra vietnamita e para que retire as tropas norte-americanas do teatro de combates.

Escrito por:

Do Correio