Publicado 10/09/2019 - 14h58 - Atualizado 10/09/2019 - 15h03

Por Estadão Conteúdo

A empresa, no entanto, divulgou um trecho do novo livro, que também parece ser ambientado em Nápoles

Divulgação

A empresa, no entanto, divulgou um trecho do novo livro, que também parece ser ambientado em Nápoles

 Cinco anos após a conclusão de sua tetralogia napolitana, a misteriosa escritora italiana Elena Ferrante lançará um novo romance no próximo dia 7 de novembro. O anúncio foi feito na segunda-feira, 9, por sua editora, a E/O, mas o título ainda é mantido sob sigilo. A empresa, no entanto, divulgou um trecho do novo livro, que também parece ser ambientado em Nápoles.

Ferrante não publica um romance inédito desde A História da Menina Perdida, quarto e último volume da série A Amiga Genial, em 2014.

A tetralogia conta a história das amigas Lila e Lenù e virou série da HBO, que deve ganhar sua segunda temporada no fim do ano ou no início de 2020.

A escritora, cuja identidade é mantida em segredo, apesar de algumas tentativas de descobri-la, já vendeu 10 milhões de livros ao redor do mundo e é especialmente amada nos Estados Unidos.

A novidade alimentou a curiosidade dos leitores, que especulam que o romance possa ser o início de uma nova saga ou até mesmo a história da filha de Lila.

Confira abaixo o trecho inédito do novo livro de Elena Ferrante, em tradução livre:

"Dois anos antes de sair de casa, meu pai disse à minha mãe que eu era muito feia. A frase foi dita em voz baixa, no apartamento que meus pais, recém-casados, haviam comprado no Rione Alto, no topo de San Giacomo dei Capri. Tudo - os espaços de Nápoles, a luz azul de um fevereiro gélido, aquelas palavras - permaneceu parado. Eu, por outro lado, fugi e continuo fugindo inclusive agora, dentro destas linhas que querem me dar uma história, embora eu não seja nada, nada de meu, nada que tenha verdadeiramente começado ou chegado ao fim: apenas um emaranhado que ninguém, nem mesmo quem está escrevendo neste momento, sabe se contém o fio certo de uma história ou é apenas uma dor surrada, sem redenção."

Escrito por:

Estadão Conteúdo