Publicado 22/09/2019 - 12h09 - Atualizado 22/09/2019 - 12h11

Por Gilson Rei

Grupo esteva ontem no CeproCamp, onde teve acesso ao cadastro para programas sociais como Bolsa Família e Cartão Nutrir: cidadania

Leandro Torres/AAN

Grupo esteva ontem no CeproCamp, onde teve acesso ao cadastro para programas sociais como Bolsa Família e Cartão Nutrir: cidadania

Imigrantes e refugiados vindos da Venezuela, Haiti, Colômbia e outros países que estão em Campinas participaram ontem da ação “Campinas de Todos os Povos”, no Centro de Profissionalização de Campinas Prefeito Antônio da Costa Santos (Ceprocamp).
Os participantes tiveram acesso ao CadÚnico, cadastro para programas sociais como Bolsa Família e Cartão Nutrir, que auxiliam com remuneração mensal em casos de famílias de baixa renda e pessoas com deficiência, entre outros programas sociais.
Tiveram também orientações jurídicas para solucionar questões civis e regularizar documentos. Os atendentes auxiliaram também na confecção de currículos e no encaminhamento para empresas que oferecem vagas de emprego. No local foram ministradas também oficinas sobre multiculturalidades, atenção básica à saúde e alimentação saudável. Além disso, houve a divulgação de cursos.
Gerson João Batista veio do Haiti, há seis anos, e já está em Campinas há cinco anos, trabalhando no açougue de uma rede de hortifrútis. “Estou nesta ação para ajudar três pessoas que acabaram de chegar do Haiti e precisam regularizar documentos, fazer currículo e encaminhar para empresas”, disse. É o caso de Minucha Setenval que estava com Batista. “Já demos entrada na documentação, fizemos o currículo e agora vou buscar emprego na sala ao lado, que encaminha para empresas. Quero vagas em diversas áreas, desde administração, até cozinha e limpeza”, afirmou Minucha.
Os venezuelanos Diego Melian e Jose Luis Soro buscavam ontem regularização de documentos e da Carta Migratória. Eles estão com seus familiares em Valinhos há seis meses e queriam orientações. “Depois de regularizar os documentos, ver se estão corretos, vamos buscar alguns benefícios sociais no CadÚnico da Prefeitura”, afirmou Melian.
Jealcius Valcin e sua esposa Anna Rita Valcin foram ao Cepropocamp com os conterrâneos do Haiti para buscar orientações sobre os benefícios sociais e para dar entrada na documentação de sua esposa que está grávida. “Queremos regularizar a situação dela para ter condições de receber nosso filho em boas condições de saúde”, afirmou o haitiano, que já está trabalhando como ajudante de caminhão há sete meses.
A ação foi uma iniciativa do Serviço de Referência ao Imigrante, Refugiado e Apátrida da Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos com vários parceiros, incluindo um grupo de 80 alunos da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), que fazem a disciplina multidisciplinar de Estágio Humanitário e atuaram no atendimento aos imigrantes nos diversos serviços que estavam sendo disponibilizados.

Escrito por:

Gilson Rei