Publicado 11/09/2019 - 09h09 - Atualizado // - h

Por

Nota pública enviada pelo advogado suspeito de participação no ataque

Reprodução

Nota pública enviada pelo advogado suspeito de participação no ataque

O advogado criminalista José Pedro Said Junior, pai do adolescente suspeito da agressão contra um estudante de 17 anos, no último dia 2, divulgou uma nota pública anteontem à noite negando a participação no ataque. Segundo ele, “jamais existiu de sua parte, como pai de família ou como ser humano, qualquer participação ou envolvimento na briga entre os adolescentes”.
A vítima foi atacada por três adolescentes quando seguia a pé para a academia, que fica na Sociedade Hípica de Campinas. De acordo com relatos da família à polícia, os agressores fizeram uma emboscada. Chamaram o estudante para conversar, mas o atacaram.
A agressão aconteceu nas imediações do clube e por meio de imagens do sistema de segurança do local foi possível verificar que o advogado levou e pegou o filho e os amigos. “Na inocência do meu caráter nunca imaginei que estaria deixando meu filho com seus amigos para ocasionar qualquer agressão contra um colega que há poucos dias havia frequentado nossa casa”, citou na nota.
O advogado também nega que assistiu à agressão e justificou como uma “mera intuição paterna” seu retorno ao local onde havia deixado os garotos e onde ocorreram os atos de agressão. Segundo ele, ao ver a briga envolvendo os jovens, tratou de separar os menores. “Faltam-me palavras para descrever os momentos que estou passando. A minha família está em sofrimento”, escreveu. Said Junior cita na carta que seu propósito com o desabafo não é isentar a atitude do filho, mas, sim, por estar triste com as críticas a sua pessoa.
De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), todas as circunstâncias relativas ao fato, inclusive a suposta participação do advogado, estão sendo investigadas tanto pela Delegacia da Infância e da Juventude (Diju) como pelo 13º Distrito Policial (DP). “Ambas as unidades realizam diligências para o esclarecimento da ocorrência”, frisou. Ontem pela manhã, a Perícia da Polícia Civil esteve na Sociedade Hípica de Campinas para recolher as imagens das câmeras de segurança que ajudarão na investigação.
A vítima segue em recuperação em casa após passar por cirurgia. O jovem sofreu diversas fraturas no rosto, está com o nariz quebrado, mas não corre mais risco de perder a visão. “Graças a Deus meu filho já está em casa. Eu quero que cada um pague pelo que fez”, afirmou Paulo Alexandre Veiga Mendes, pai do garoto espancado. “Sou grato à Polícia Civil e ao Ministério Público pela competência, pois atuaram muito rápido, identificaram os agressores e já tomaram medidas”, acrescentou. O ataque teria ocorrido por conta de vingança. O filho do advogado teria ficado com ciúmes porque soube, por meio de um dos amigos e suposto agressor, que sua ex-namorada tinha beijado a vítima durante uma balada, dois dias antes.
Família também se manifesta
Também ontem a família de um dos menores suspeitos de participação na emboscada se manifestou por meio de nota pública assinada pelo advogado Affonso Pinheiro. O documento nega a participação do pai de um dos agressores no episódio, afirma que a família tem prestado apoio e solidariedade à vítima e que a Justiça irá esclarecer os fatos. “O momento exige calma, ponderação, serenidade e, acima de tudo, respeito a ambas as famílias envolvidas, que inegavelmente estão sofrendo”, cita trecho da nota. “Não há, nunca houve e jamais haverá por parte dos meus representados conivência com o ocorrido”, acrescenta.

Escrito por: