Publicado 12/08/2019 - 14h53 - Atualizado 13/08/2019 - 11h19

Por Fábio de Mello

Boteco movimenta a freguesia com suas porções de panceta dourada, além das tradicionais comidinhas do bar comandado por Júnior

Fábio Mello/AAN

Boteco movimenta a freguesia com suas porções de panceta dourada, além das tradicionais comidinhas do bar comandado por Júnior

De vez em quando gosto de sair de casa meio sem rumo para conhecer novos lugares. Outro dia, passei pelo Parque da Figueira e, após algumas voltas, parei em frente ao Bar do Júnior, que fica numa esquina pouco movimentada do bairro. Ao entrar, me impressionei de imediato com a estufa sobre o balcão, lotada de pancetas douradas enormes, produzidas pela Valéria, cozinheira da casa.
O boteco é comandado com maestria por Júnior, catarinense de Jupiá, conhecido pela boemia da região do Jardim Nova Europa, que além de servir porções de contra-filé, tilápia e frango a passarinho, aceita encomendas de costela, cupim e pernil, desde que sejam feitas com antecedência. Em algumas sextas-feiras, ainda prepara costela com mandioca, dobradinha ou moela.
Para beber, o local conta com as cervejas mais conhecidas e alguns drinques, que levam nomes no mínimo curiosos: o CLW (é a abreviação de conhaque, licor de cacau e uísque), o Engasga-Lobo (composto de Velho Barreiro, limão e gelo), o Carcanhá de Sapo (feito com licor e conhaque) e o Sangue de Cobra, o mais pedido, que leva groselha no fundo de um copo pequeno, seguido por duas ou três gotas de pimenta tabasco e vodca, sem misturar.
Durante a maior parte dos dias, a bodega parece um lugar tranquilo, mas, nas noites de terça e quinta, quando o pessoal do bairro aparece depois do futebol, o ambiente entra em clima de festa e até para quem é de fora fica difícil não se enturmar. Nesses dias, é falta de educação não participar do churrasco e principalmente das rodadas de shot com Sangue de Cobra. Saúde!
Serviço
Rua José Ferreira da Silva, 276 - Parque da Figueira, Campinas. Aberto de segunda-feira a sábado, das 16h até o último cliente.
Essa é boa!
Um trago
O cara vai procurar um médico pois não está se sentindo bem. Quando o médico
diz que o problema é que ele está bebendo demais, ele explica:
- Que é isso, doutor?? Eu não bebo quase nada. Só bebo um trago.
- Um trago, mas o senhor é um alcoólatra!
- Eu só bebo um traguinho. Acontece que quando eu bebo um trago viro outro
homem. E o outro, doutor, é um tremendo pinguço!

Escrito por:

Fábio de Mello