Publicado 13/08/2019 - 10h53 - Atualizado 13/08/2019 - 10h55

Por Paulo Santana

Roger sobe no alambrado para comemorar a vitória da Ponte Preta sobre o Guarani por 1 a 0 no Moisés Lucarelli: atacante recebeu o terceiro amarelo e não joga em Florianópolis

Leandro Ferreira/AAN

Roger sobe no alambrado para comemorar a vitória da Ponte Preta sobre o Guarani por 1 a 0 no Moisés Lucarelli: atacante recebeu o terceiro amarelo e não joga em Florianópolis

Além de acabar com a série de cinco jogos sem vencer, a vitória sobre o Guarani no Dérbi 194, por 1 a 0, serviu para devolver a confiança para o meia Matheus Vargas. O camisa 10 chegou ao quinto gol na temporada — igualando-se a Thalles, que morreu há cerca de dois meses — como principal artilheiro do time. E, de quebra, chegou a quarto na Série B do Brasileiro, mesma marca do atacante Roger, maior goleador da Macaca na competição.
O jogador reconhece que o resultado positivo sobre o maior rival serviu para aliviar a pressão sobre o time e também sobre seus ombros. "Vestir uma camisa como a da Ponte exige responsabilidade e essa cobrança sempre vai existir. Principalmente em cima do 'camisa 10', já que a Ponte teve muitos craques vestindo essa camisa. A cobrança é normal porque a equipe não vinha bem", reconhece.
Depois que o time perdeu a série invicta que durava nove jogos (chegou a brigar pela liderança) e entrou em 'parafuso' ficando cinco sem ganhar (caindo para o 11º lugar), Vargas se transformou em um dos principais alvos das críticas pela queda de rendimento. Mas ele garante que assimilou bem a pressão e nunca se deixou abater.
"O grupo sabe da minha importância para o time e sempre tive a confiança de todos. O técnico Jorginho falava para eu não me abater porque as coisas iam se encaixar novamente. Sempre me mantive focado e forte no trabalho. Que bom que veio o Dérbi para eu fazer este gol importante. Agora é retomar a confiança daqui pra frente e seguir firme na briga."
Segundo o camisa 10 da Macaca, o Dérbi realmente é um campeonato à parte, mas precisa ficar no passado. Até porque na quinta-feira tem mais um jogo importante, em Florianópolis, diante do Figueirense. "O Dérbi foi bom, mas não podemos perder o foco maior que é o acesso. Se engatarmos mais uma vitória, temos a chance de ficar novamente no G4", ressalta.
Para este jogo, a Macaca perdeu o volante Edson e o atacante Roger, que receberam o terceiro cartão amarelo. O zagueiro Renan Fonseca e o lateral-esquerdo Guilherme Guedes, que deixaram o campo sentindo dores, estão sendo avaliados pelos médicos. Por enquanto, são tratados como dúvidas.
Para a vaga de Roger, João Carlos e Tiago Marques são as principais alternativas. Washington surge como substituto natural de Edson, assim como Airton deve entrar na vaga de Renan Fonseca. Já Henrique Trevisan pode ser escalado na lateral.

Escrito por:

Paulo Santana