Publicado 24/08/2019 - 20h28 - Atualizado 24/08/2019 - 20h28

Por Agência Anhanguera de Notícias

O diretor geral da São Leopoldo Mandic, José Luiz Junqueira, um dos organizadores do evento: foco no equilíbrio do setor

Cedoc/RAC

O diretor geral da São Leopoldo Mandic, José Luiz Junqueira, um dos organizadores do evento: foco no equilíbrio do setor

O ex-governador Geraldo Alckmin e o ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha serão duas das atrações do 1º Simpósio sobre Financiamento dos Sistemas de Saúde no Brasil, que acontece amanhã na Faculdade São Leopoldo Mandic, em Campinas.
O encontro vai reunir especialistas de diversas áreas, para debater também, sobre o que está sendo considerado excesso da judicialização e a busca por novos modelos de remuneração.
“Todo mundo está descontente com o sistema”, diz o coordenador do curso de medicina da São Leopoldo, Guilherme de Menezes Cucci. “Os hospitais; os operadores, o médico e o paciente, que acha que os planos de saúde não param de subir”, continua o coordenador. Justamente por isso, diz ele, o debate é fundamental.
Menezes afirma que o aumento de custos na saúde — em especial aqueles relacionados a novos materiais e tecnologias — tem crescido de forma sistemática, sempre acima da inflação, o que tem encarecido demais os custos de operação.
Ele lembra ainda, que são cada vez mais frequentes, as ações judiciais que obrigam os prestadores de serviço a oferecer medicamentos ou procedimentos.
Na mesa dos juízes
De acordo com dados do ano passado divulgados pelo Consultor Jurídico, o Tribunal de Justiça de São Paulo julgou, em um ano, mais de 40 mil casos tendo como objeto a saúde. Da falta de um remédio simples em um posto de saúde público à autorização para uma complexa cirurgia fora do País, juízes e desembargadores lidam diariamente com enorme variedade de pedidos.
Na Seção de Direito Público, foram julgados 14 mil recursos. Quase 10 mil deles se referiam a pedidos de medicamento, tema que no ano anterior ocupou o quinto lugar entre as maiores demandas da seção.
Busca de esforços 
Para o diretor geral da São Leopoldo Mandic, José Luiz Junqueira, o simpósio é “muito importante por retratar o caos de como o atendimento público da saúde é tratado pelo estado”. Para o diretor, é preciso “unir esforços” para buscar saídas. “Daí, decorre a importância das cooperativas, que estão aí para cobrir falhas do sistema público”, afirma.
O simpósio acontece na Faculdade São Leopoldo Mandic (Rua José Rocha Junqueira, 13, Bairro Swift), a partir das 8h30. As inscrições podem ser feitas no endereço eletrônico: www.slmandic.edu.br.

Escrito por:

Agência Anhanguera de Notícias