Publicado 14/08/2019 - 09h27 - Atualizado 14/08/2019 - 09h27

Por Da Agência Anhanguera

Prefeito entrega projetos na Câmara

Divulgação/Câmara

Prefeito entrega projetos na Câmara

A Rede Mário Gatti de Urgência e Emergencia vai contratar 600 profissionais da Saúde em caráter experimental e outras 500 vagas serão abertas na área de educação, segundo projetos entregues ontem pelo prefeito na Câmara.
O prefeito explicou que a contratação por tempo determinado como a que se pretende para a saúde, está previsto na Constituição e serve para atender a uma necessidade temporária de excepcional interesse público. Essas 600 vagas serão destinados a médicos, técnicos de enfermagem e enfermeiros. “De 2016 para 2017 houve um aumento em 40% no atendimento na saúde. É como se Campinas passasse a atender toda a cidade de Ribeirão Preto de um ano para outro. Uma sobrecarga ocorrida pela crise financeira, que fez as pessoas saírem dos planos de saúde e buscarem atendimento público”, afirmou o prefeito.
Segundo ele, essa situação faz com que seja necessário fazer a contratação emergencial – por até um ano – enquanto esta demanda não pode ser atendida por profissionais concursados. “Nunca antes na cidade foram feitos tantos concursos públicos para a saúde, já foram oito até agora e outro ocorrerá em 8 de setembro. Porém, precisamos atender esta situação emergencial; são profissionais importantes para reforçar o atendimento. Pretendemos, por exemplo, resolver o problema de falta de pediatras dos Pronto-Atendimentos, em especial nos finais de semana.”
O presidente da Câmara de Campinas, vereador Marcos Bernardelli (PSDB) prometeu acelerar a tramitação dos projetos. “Vamos analisar a possibilidade de se fazer todo o encaminhamento administrativo o mais breve possível. Quero crer que a Comissão Permanente de Constituição e Legalidade, a primeira a avaliar a matéria, vai propor a análise de forma urgente. Já as comissões temáticas da Casa podem conceder seus pareceres em conjunto. Assim, dentro de 45 ou 60 dias poderíamos aprovar a proposta e devolver ao Poder Executivo para sanção”, avaliou.
Agentes de educação infantil
O projeto que trata da criação de 500 cargos públicos de agente de educação infantil determina que eles serão utilizados para os próximos concursos que a prefeitura realizar. Atualmente, há somente 41 cargos vagos no quadro da administração municipal. A medida é necessária porque o quadro atual não é suficiente para atender às necessidades de reposição dos profissionais por conta de aposentadorias e também devido à entrega de novas unidades, que vão demandar contratação de agentes.

Escrito por:

Da Agência Anhanguera