Publicado 13/08/2019 - 06h00 - Atualizado 12/08/2019 - 14h40

Por Do Correio

O ator Paulo Goulart em cena

Reprodução

O ator Paulo Goulart em cena

SHOW DO CRIOLO DOIDO NO TEATRO DA PONTE
Amanhã e prolongando-se até domingo, será apresentada no Teatro da Ponte Preta, a super comentada peça de Sérgio Porto (Stanislaw que também é Ponte Preta) — "O Show do Crioulo Doido". Prossegue assim a temporada teatral campineira, promovida por Mílton Campos e Fernando Catani, depois da apresentação da comédia "Lá" vivida por Paulo Goulart. Faz o espetáculo Milton Carneiro, da Guanabara, que é um dos mais notáveis cômicos do país. Como se sabe, a peça prima pela sua comicidade, muito bem elaborada, o que a levou a um sucesso impressionante em tôdas as suas apresentações, permanecendo em cartaz, no Rio de Janeiro, por mais de um ano.
 
CAIXA FEDERAL TRANSFORMADA EM EMPRESA PÚBLICA
O Presidente Costa e Silva assinou Decreto-Lei, na Pasta da Fazenda, transformando a Caixa Econômica Federal — CEF, em instituição financeira sob a forma de empresa pública, dotada de personalidade jurídica de direito privado, com patrimônio próprio e autonomia administrativa, vincularia ao Ministério da Fazenda. O Decreto-Lei assinado mantém os atuais dispositivos legais referentes a Loteria Federal do Brasil e a Loteria Esportiva Federal, recentemente criada. A Caixa. Econômica Federal — CEF — receberá a comissão de renda, mais o encargo do reembolso das despesas de administração e custeios do serviços lotéricos.
 
EM NOVA YORK, TRIUNFAL RECEPÇÃO AOS ASTRONAUTAS
Neil Armstrong, Aldrin e Collins, os componentes da missão Apolo-11 e já consagrados como conquistadores da Lua, serão recebidos hoje, triunfalmente, pelas ruas de Nova Iorque, seguindo depois para a sede da Assembléia Geral da ONU, em cujo local serão saudados pelo secretário-geral desse organismo, U'Thant. Deixando a ONU, os astronautas viajarão para Chicago e Los Angeles, no avião pessoal do presidente Nixon. Pela primeira vez, ontem, os astronautas concederam entrevista coletiva à imprensa, que reuniu cerca de 300 jornalistas. Armstrong disse que a descida do módulo foi mais fácil que a simulação em terra, mas afirmou que tanto êle, como Aldrin, tinham que andar com muito cuidado para evitar as pequenas crateras da Lua.

Escrito por:

Do Correio