Publicado 19/08/2019 - 06h30 - Atualizado 19/08/2019 - 06h30

Por AFP


O embaixador da China no Canadá pediu no domingo ao governo de Ottawa para "cessar imediatamente a interferência" nos assuntos de Hong Kong, um dia depois da publicação de um comunicado conjunto com a União Europeia (UE).

"Pedimos mais uma vez à parte canadense para respeitar o direito internacional (...) e cessar imediatamente de interferir nos assuntos de Hong Kong e nos assuntos internos da China", afirmou o porta-voz da embaixada da China no Canadá em um comunicado.

A ministra das Relações Exteriores do Canadá, Chrystia Freeland, e a chefe da diplomacia da UE, Federica Mogherini, expressaram em um comunicado divulgado no sábado preocupação com Hong Kong.

"As liberdades fundamentais, incluindo a liberdade de reunião pacífica, e o alto nível de autonomia de Hong Kong (...) estão garantidas pela Lei Fundamental e os acordos internacionais e deveriam continuar sendo respeitados", afirmaram.

As manifestações em Hong Kong, começaram há mais de 10 semanas, "resultaram em violência extrema", afirmou a embaixada chinesa em Ottawa e "nenhum governo com responsabilidade ficaria de braços cruzados", afirmou o porta-voz chinês.

ac/et/plh/dga/fp

Escrito por:

AFP