Publicado 10/07/2019 - 18h30 - Atualizado 10/07/2019 - 18h30

Por Estadão Conteúdo


A S&P Global Ratings elevou suas projeções para o preço do minério de ferro até 2021. Para a agência de classificação de risco, o rompimento da barragem da Vale em Brumadinho vai manter a oferta de minério apertada e elevar a cotação da commodity. A expectativa da S&P é que o preço médio do minério fique em US$ 90 a tonelada em 2019, US$ 80/t em 2020 e US$ 70/t em 2021, ante projeções anteriores de US$ 75/t, US$ 70/t e US$ 65/t, respectivamente.

"Em nossa visão, a Vale pode levar até três anos para trazer a produção de volta aos níveis de 2018", diz em relatório, destacando que os preços do minério subiram desde o desastre, ficando acima dos US$ 100 a tonelada em maio. A forte demanda das siderúrgicas chinesas tem ajudado a sustentar essa alta.

Apesar de ter elevado as projeções, a S&P acredita em um recuo dos preços no mercado spot no segundo semestre com uma melhora na produção das grandes mineradoras, inclusive a Vale, que obteve aval para a retomada das operações da mina de Brucutu. As projeções consideram, entretanto, que qualquer aumento na oferta seria gradual.

A S&P acredita ainda que a oferta interna chinesa, o estoque existente nos portos e o uso de sucata ajudarão a preencher a lacuna de oferta deixada pela Vale em 2019.

Escrito por:

Estadão Conteúdo