Publicado 23/07/2019 - 10h37 - Atualizado 23/07/2019 - 10h37

Por Carlos Rodrigues

Depois de cumprir suspensão no empate com o Botafogo no sábado, o volante Ricardinho está à disposição para a partida das 19h15: reforço

Letícia Martins/Guarani FC

Depois de cumprir suspensão no empate com o Botafogo no sábado, o volante Ricardinho está à disposição para a partida das 19h15: reforço

Depois de finalmente conseguir interromper a sequência de derrotas na Série B do Brasileiro, o Guarani precisa agora voltar a ganhar. E é com essa necessidade que o time vai a campo hoje para enfrentar o Cuiabá, às 19h15, no Estádio Brinco de Ouro, em partida válida pela 11ª rodada. Na vice-lanterna e com apenas seis pontos, o Bugre soma uma vitória no torneio e o jejum já chega a 71 dias.
Fazer valer o fator casa é primordial já que, depois de hoje, a equipe alviverde tem mais um compromisso em seus domínios na sexta-feira, diante do São Bento. Como os dois adversários também estão na parte inferior da tabela — o Cuiabá é o 13º e o São Bento o 17º —, conquistar os seis pontos em Campinas é de grande importância.
"São confrontos diretos. Quanto mais a gente puder ganhar de times que estão brigando lá embaixo, melhor pra tentar chegar neles e depois começar a se distanciar dessa zona de perigo", diz o zagueiro Luiz Gustavo.
Para o defensor, o Guarani apresentou evolução no empate com o Botafogo, mas a melhora só será evidente quando vier também acompanhada dos bons resultados. "A pressão existe e precisamos manter a tranquilidade de ter um bom ambiente de trabalho para as coisas acontecerem. A situação é delicada, mas vamos mudar isso ganhando jogos", admite. "Não teremos tempo de descanso e para treinar. Temos que nos esforçar para corresponder dentro de campo e dar alegria ao torcedor."
O técnico Roberto Fonseca também destaca a necessidade que o Bugre tem em buscar essa recuperação, mas diz que isso não pode acontecer de maneira desordenada. Por isso, tal obrigação precisa ser acompanhada de responsabilidade. "Eu sempre digo que não vamos vencer de qualquer maneira, na loucura. Se fizer isso, corremos o risco de perder o jogo", explica. "Sabemos que temos que buscar pontos nesses dois jogos em casa para sair da zona de rebaixamento, mas precisamos de consciência", acrescenta.
Como entrou em campo no último sábado em Ribeirão Preto, o elenco bugrino mal teve tempo para trabalhar pensando no confronto de hoje. A única atividade dos titulares aconteceu ontem e Roberto Fonseca apostou no mistério. O treinador permitiu apenas que o aquecimento pudesse ser acompanhado e depois fechou a atividade.
Ele conta com o retorno do volante Ricardinho, que cumpriu suspensão e deve fazer mais mudanças. Arthur Rezende e Deivid Souza estão com lugares ameaçados, enquanto Bady e Vitor Feijão podem surgir como novidades.
Rendimento ofensivo é preocupação no time
O Guarani enfrentou o Botafogo na última rodada com a estratégia clara de se resguardar bem na defesa e tentar explorar um contra-ataque para surpreender o adversário. A primeira parte da missão deu certo e o time saiu de campo sem ser vazado após cinco partidas na Série B. O problema é que, mais uma vez, o ataque não correspondeu e passou em branco. Hoje, contra o Cuiabá, a incumbência de tomar a iniciativa do jogo é maior do Bugre, que tentará ter bom desempenho ofensivo, sem perder a solidez lá atrás.
O rendimento do ataque preocupa a comissão técnica, afinal o time é o que menos balançou as redes no campeonato — apenas cinco vezes. Dentro do elenco, o diagnóstico é parecido e foi assunto até para o zagueiro Luiz Gustavo, que admitiu a necessidade de melhora. "Acho que fizemos um jogo bem seguro na parte defensiva, mas precisamos melhorar bastante coisa. Nesse curto tempo vamos ter que nos esforçar ao máximo para ir aperfeiçoando o que for possível. A parte defensiva começou a melhorar e agora a parte ofensiva também precisa melhorar um pouco."
Dentro dessa busca por um time mais efetivo lá na frente, está também a preocupação em não perder a consistência defensiva. Com dois jogos seguidos em casa, o Guarani tem que agredir, mas não pode oferecer tantos espaços. "Vamos tomar o último jogo como referência. Defender bem o máximo possível para não levar gol e ter uma oportunidade para fazer e sair com a vitória. Aqui, a gente vai ter que propor o jogo, mas quem vai decidir a melhor estratégia é o treinador", finaliza Luiz Gustavo.
FICHA TÉCNICA
GUARANI
Jefferson; Lenon, Ferreira, Luiz Gustavo e Diego Giaretta; Igor Henrique e Ricardinho; Diego Cardoso, Bady (Arthur Rezende) e Vitor Feijão (Deivid Souza); Michel Douglas. Técnico: Roberto Fonseca.
CUIABÁ
Victor Souza; Jonas, Ednei, Anderson Conceição e Paulinho; Escobar, Djavan, Alê e João Henrique (Jean Patrick); Felipe Marques e Caio Dantas. Técnico: Itamar Schulle.
Local: Brinco de Ouro. Horário: 19h15. Juiz: Wanderson Alves de Sousa (MG).

Escrito por:

Carlos Rodrigues