Publicado 23/07/2019 - 08h16 - Atualizado 23/07/2019 - 08h16

Por Alenita Ramirez

Wilson Ferreira Neves voltou ao local para retirar a fiação que continuava solta no meio da avenida, a fim de evitar outros acidentes como o que aconteceu com seu irmão na manhã de ontem

Leandro Torres/AAN

Wilson Ferreira Neves voltou ao local para retirar a fiação que continuava solta no meio da avenida, a fim de evitar outros acidentes como o que aconteceu com seu irmão na manhã de ontem

Um motociclista de 49 anos ficou ferido após se enroscar em uma fiação telefônica, na Avenida Império do Sol Nascente, na Vila Proost de Souza, em Campinas, no final da manhã de ontem. O acidente foi em frente ao Atacadão, após Wellington Ferreira Neves deixar o estacionamento do supermercado. Segundo testemunhas, o fio foi puxado por um caminhão, que saiu de um canteiro de obras ao lado do supermercado. A vítima sofreu ferimentos graves na clavícula e foi socorrida e levada pelo Samu ao Pronto-Socorro do Hospital Ouro Verde. 
O acidente foi por volta das 11h. Segundo o irmão da vítima, o empresário Wilson Ferreira Neves, de 49 anos, Wellington foi ao supermercado fazer compras para a mãe e estava em baixa velocidade quando se envolveu no acidente.
A fiação é da empresa Vivo e ficou solta na via após um caminhão se enroscar e puxá-la. Parte do fio que estava entre os postes de iluminação se rompeu e outra parte, que cruzava a avenida, ficou solta na via.
Segundo testemunhas, o caminhão estava na obra do prédio e ao deixar o local enroscou na fiação. Um funcionário da obra teria avistado o incidente com a fiação. “Não puxaram o fio e nem avisaram os amarelinhos (agentes da Emdec) para sinalizar o local. Simplesmente ignoraram”, disse uma testemunha que não quis ser identificada.
“Apesar de não ser uma fiação de alta-tensão, ela funciona como linha de pipa com cerol, pode matar um motociclista. Ainda bem que meu irmão estava em baixa velocidade, pois poderia ter sido pior”, disse Wilson, que foi no local pegar a moto do irmão e, temendo novos acidentes, puxou toda fiação e deixou na calçada.
O engenheiro da obra, Tales Almeida, disse que não soube do acidente, uma vez que não estava no local, mas iria se inteirar do caso.
Na portaria do estacionamento da obra, por onde saiu o caminhão, existe câmara de segurança. A empresa Vivo foi procurada por e-mail, mas não houve retorno até final da tarde de ontem.

Escrito por:

Alenita Ramirez