Publicado 13 de Junho de 2019 - 11h35

Por Carlos Rodrigues

Vinícius Eutrópio deixa a sala de imprensa pela última vez após a entrevista coletiva que concedeu depois da partida de terça-feira para o Coritiba: quarta derrota consecutiva

Wagner Souza/EC

Vinícius Eutrópio deixa a sala de imprensa pela última vez após a entrevista coletiva que concedeu depois da partida de terça-feira para o Coritiba: quarta derrota consecutiva

O Guarani confirmou ontem o que já se encaminhava há duas semanas. Após um início desastroso na Série B, o clube demitiu Vinícius Eutrópio. O treinador ficou no comando por 82 dias e, em oito partidas, conquistou apenas uma vitória, teve dois empates e sofreu cinco derrotas, com aproveitamento de 20,8%. A gota d'água foi a derrota para o Coritiba, que deixou o Bugre na vice-lanterna e tendo que passar os cerca de 30 dias de paralisação para a disputa da Copa América dentro da zona de rebaixamento.

A saída já era dada como certa após o jogo de terça-feira, mas os dirigentes não quiseram repetir o expediente adotado no desligamento de Osmar Loss, que aconteceu no vestiário logo após a derrota no Dérbi. Eutrópio concedeu entrevista coletiva normalmente, embora ele mesmo já pudesse concluir seu futuro. Ontem pela manhã, o Conselho de Administração e o departamento de futebol fizeram uma reunião e concretizaram a decisão, comunicada ao treinador em um encontro que aconteceu à tarde e durou cerca de 20 minutos.

Nenhum dirigente concedeu entrevista e o clube divulgou apenas uma nota oficial em seu site, onde agradeceu o treinador e seu auxiliar Evandro Guimarães pelos serviços prestados. Ao deixar o estádio, Eutrópio também não quis falar com a imprensa sobre a demissão.

O técnico deixa o clube após uma passagem sem nenhum destaque. Contratado já com enorme rejeição da torcida por conta de seu histórico recente, teve quase um mês de preparação e, com boa parte do elenco que disputou o Paulista, não conseguiu fazer o time engrenar na Série B. Pelo contrário, praticamente só acumulou tropeços. O único resultado positivo foi diante do Vitória, curiosamente a única equipe que está atrás do Bugre na tabela.

Eutrópio recebeu algumas contratações, fez mudanças no time titular e em diversas partidas elogiou o desempenho da equipe, mas não conseguiu dar o padrão esperado, não obteve resultados e a demissão já era tratada internamente desde que o time perdeu para o Brasil de Pelotas. Em entrevistas, o superintendente de futebol Fumagalli defendeu o trabalho e o técnico ainda resistiu ao revés contra o Atlético-GO, mas a quarta derrota consecutiva encerrou definitivamente sua passagem pelo clube.

A diretoria agora trabalha na busca por um novo treinador. Alguns contatos foram iniciados antes mesmo da definição da situação de Eutrópio e, nos bastidores, o nome mais forte e que tem a preferência do departamento de futebol é o de Roberto Fonseca, que dirigiu o Novorizontino no Paulistão e depois se demitiu após apenas uma partida no comando do Londrina. A expectativa é que o anúncio aconteça antes da próxima quarta-feira, data prevista para a reapresentação do elenco após uma semana de folga.

Escrito por:

Carlos Rodrigues