Publicado 05 de Fevereiro de 2019 - 9h18

Por Daniel de Camargo

Os moradores de Sumaré apresentaram grau médio de satisfação

Cedoc/RAC

Os moradores de Sumaré apresentaram grau médio de satisfação

O abastecimento de água oferecido pela BRK Ambiental em Sumaré é considerado o pior dentre as 15 maiores cidades da Região Metropolitana de Campinas (RMC), segundo levantamento dos Indicadores de Satisfação dos Serviços Públicos (Indsat). O estudo foi realizado no 4º trimestre de 2018. Ao todo, 400 pessoas foram entrevistadas. Dessas, apenas 3% (12) classificaram o abastecimento como ótimo. A maior parte dos cidadãos, 40% (160), avaliou como bom, 23% (92) consideraram regular, enquanto 22% (88) julgaram como péssimo. Outros 12% (48) entenderam como ruim. A cidade obteve 555 pontos no índice de aprovação, que equivale a “grau médio de satisfação”.

A BRK Ambiental informou, em nota, que desde que assumiu os serviços de saneamento da cidade já foram investidos R$ 61 milhões para ampliação e modernização de todo o sistema de abastecimento de água e esgotamento sanitário de Sumaré. “São adutoras, redes, instalações e equipamentos antigos e defasados que gradativamente estão sendo substituídos. Entre as principais obras em andamento estão as novas adutoras do Picerno e do Marcelo e a ampliação da Estação de Tratamento de Água II e da Captação do Rio Atibaia”, destaca o texto. A empresa privada esclareceu ainda que a água distribuída no município atende todos os parâmetros de portabilidade estabelecidos pelo Ministério da Saúde e a qualidade é atestada por 16 mil testes realizados todos os meses na cidade.

A empresa estima investimentos na ordem de R$ 50 milhões para 2019. Sumaré tem pouco mais de 278 mil habitantes, segundo a última estimativa populacional desenvolvida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

As outras duas piores cidades colocadas no ranking foram Artur Nogueira e Americana, que ficaram na 13ª e 14ª posição, respectivamente. O Departamento de Água e Esgoto (DAE) de Americana informou, em nota, que realiza grandes investimentos, como nova captação de água, reforma do sistema de tratamento e está em projeto a construção de novos reservatórios para melhorar a distribuição em todo o município. De acordo com o IBGE, Americana tem cerca de 237 mil habitantes.

O departamento foi alvo de reclamações ontem, quando a Rádio Notícia FM de Americana trouxe à tona queixas de moradores quanto à falta e coloração da água em alguns bairros da cidade. De acordo com o DAE, a distribuição foi feita de forma igualitária na região do São Jerônimo, Parque da Liberdade, Jardim da Paz e Parque Gramado. “[...], porém, o reservatório é o mesmo para toda a região e o consumo de água nesse final de semana foi alto. Ressalta-se que, com a reforma dos decantadores, o volume também está reduzido, como já informado anteriormente. Com relação à água suja nos bairros citados, o DAE não tem conhecimento. O munícipe deve formalizar uma reclamação no telefone 0800 123737 para que seja avaliado o problema no local”, encerra o texto. Procurada, a Prefeitura de Artur Nogueira não retornou o contato até o fechamento desta edição.

As melhores

As três melhores colocadas no ranking de abastecimento de água do Indsat são Indaiatuba, Nova Odessa e Jaguariúna, respectivamente. O Serviço Autônomo de Água e Esgotos de Indaiatuba (SAAE), autarquia municipal responsável pelo abastamento de água de Indaiatuba, criada em 1970, informou, em nota, que dentre os últimos investimentos realizados estão o aumento da oferta de água bruta com a represa do rio Capivari-Mirim, que armazena hoje 1,3 bilhão de litros e garante sua captação mesmo nos períodos de estiagem prolongada, e a ampliação em 50% da capacidade de tratamento de uma de nossas estações. "As próximas grandes obras são a construção de uma nova barragem no ribeirão Piraí, através do consórcio entre as cidades de Indaiatuba, Salto, Itu e Cabreúva, e de uma nova Estação de Tratamento de Água. Com esse conjunto de obras finalizadas, o Saae conseguirá atender o crescimento da cidade até o ano de 2050", diz o texto.

A Companhia de Desenvolvimento de Nova Odessa (Coden) informou, em nota, que trata, em média, 15,5 milhões de litros de água por dia e possui uma capacidade de reservação de 2,7 bilhões de litros. A empresa é a concessionária pública dos serviços de água e esgoto de Nova Odessa desde 1980.

De acordo com a diretora do Departamento de Planejamento e Gestão em Saneamento Básico, Luciana Carla Ferreira de Souza, que responde pelo Departamento de Água e Esgoto (DAE) de Jaguariúna, a melhora na qualidade da água captada, tratada e distribuída à população se deve às várias ações realizadas ao longo de 2018.

Dentre essas medidas, segundo Luciana Souza, cabe destacar a recuperação de duas unidades de filtração que estavam desativadas, o aumento da vazão captada de água bruta, mais investimentos na aplicação de produtos que ajudam a melhorar a qualidade da água potável distribuída, e a ativação de sete reservatórios, o que fez aumentar a capacidade de reservação em 20%.

Maior cidade da RMC com quase 1,2 milhão de habitantes, de acordo com o IBGE, Campinas aparece na 10ª colocação com 782 pontos, conforme métricas do Indsat, que equivale a “alto grau de satisfação” por parte dos entrevistados.

Escrito por:

Daniel de Camargo