Publicado 28 de Agosto de 2018 - 22h03

Por Renato Piovesan

Vinicius de Lima, gerente do posto e Tirilo

Thomaz Marostegan

Vinicius de Lima, gerente do posto e Tirilo

Um “cão-frentista” tem virado a sensação de um posto de combustíveis em Indaiatuba. No começo do ano, um vira-lata começou a frequentar quase que diariamente um estabelecimento no final da Rua dos Indaiás, no Jardim Belo Horizonte. Os funcionários do posto, então, resolveram adotar o cachorro, que ganhou uma cama para dormir e receber comida, ração e água. O Tirilo, como foi apelidado, não saiu mais de lá. E há quatro meses ganhou um uniforme igual ao dos frentistas do local e um crachá com seu nome e um cargo de respeito: “gerente-geral”.

“Ele é o funcionário mais importante daqui”, brinca Jheniffer Germano, que trabalha na loja de conveniência do posto e levou a sério a ideia de cuidar do bichinho junto do gerente do estabelecimento, Vinícius de Lima. “Esse vira-lata sempre aparecia no posto procurando comida. Quando começamos a oferecer comida e água, ele não saiu mais de lá. E como o posto tem segurança 24 horas, ele nunca fica sozinho. Virou nosso mascote”, conta Germano.

Ela diz que o animal apareceu bem magro e cheio de sarnas na primeira vez. Hoje, já está bem melhor cuidado. Veterinários apontaram que o bicho não tem mais que dois anos de idade. E já está ficando famoso na cidade. “Não tem quem não para pra abastecer e não desce do carro para tirar fotos ou brincar com ele”, afirma a funcionária, que já pretende encomendar mais crachás para Tirilo, que não se cansa de morder o plástico quando não brinca com a sua bolinha. “Fizemos só um crachá, mas já vimos que precisaremos mandar deixar mais alguns prontos aqui para trocar”, diz Germano.

A estudante de engenharia elétrica Amanda Moreira, de 20 anos, até viu um post em seu Twitter viralizar ao publicar a foto do cão Tirilo. Em dois dias no ar, a postagem acumulou cerca de 100 mil curtidas e 33 mil compartilhamentos. “Eu não esperava toda essa repercussão. Quando minha mãe chegou em casa me mostrando a foto do Tirilo e me falando como ele era eu não aguentei, achei muito engraçado e fofo. Eu e minha família amamos animais, inclusive minha irmã é veterinária. Decidi compartilhar, pensei que só meus amigos mais próximos iriam ver mas fiquei mais feliz ainda ao ver milhares de pessoas se apaixonando por ele”, comenta. 

Escrito por:

Renato Piovesan