Bendito leite vegetal!
Publicidade

Publicado 10/04/2018 - 17h23 - Atualizado 10/04/2018 - 17h23

Por Nathália Gombrade

Extratos, que já faziam parte do cardápio de quem tinha intolerância à lactose, também podem ser usados como complemento nutricional até por quem consome o leite animal

Divulgação

Extratos, que já faziam parte do cardápio de quem tinha intolerância à lactose, também podem ser usados como complemento nutricional até por quem consome o leite animal

Muita gente tem intolerância à lactose, ou é sensível à proteína do leite. E estas pessoas – que não são poucas – se sujeitam a restrições no cardápio, e acabam tendo de optar pelo leite vegetal. Nem todos os usuários, no entanto, conhecem os benefícios do alimento ao organismo. Os extratos são complemento saudável até para os que já consomem o leite animal.
Entre os vários extratos úteis, o mais conhecido é o leite de soja. Desenvolvido, por sinal, por pesquisadores da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).
Gláucia Pastore, bióloga e doutora em ciência dos alimentos, por exemplo, participou dos estudos que analisaram os fatores antinutricionais do leite após o processamento. “A nossa proposta era torná-lo mais saboroso e atrativo para o consumidor”, diz.
Mas é preciso atenção. A substituição dos leites animais pelos extratos, sem nenhuma orientação médica ou qualquer necessidade fisiológica, pode trazer deficiências nutricionais.
Apesar dos benefícios comprovados dos extratos, quem consome os produtos lácteos e o leite de vaca não deve deixá-los por completo. Estudos recentes, desenvolvidos no País, mostram que o extrato pode ser deficiente em vitamina D, cálcio e fósforo, em todas as faixas etárias.
Segundo a nutricionista Regina Esteves Jordão, da PUC-Campinas, os extratos de fato possuem proteínas, minerais, gorduras de boa qualidade e compostos bioativos importantes para a saúde. Por outro lado, os nutricionistas consideram o leite e seus derivados alimentos biologicamente completos, aptos ao consumo humano, em qualquer fase da vida. “O importante, sempre, é a variedade na ingestão dos alimentos. Deve-se troca as fontes alimentares, diversificá-los”, afirma Regina. .
Quando se trata de incluir os extratos em receitas, um dos mais bem-aceitos é o leite de coco. “Por ser fonte de proteínas e gorduras, é uma boa opção nas receitas”, diz Regina.
Dicas
- A dica para quem quer fazer os extratos em casa é a conservação adequada. Na preparação caseira, é preciso ter cuidado com a higiene. Após o preparo, a conservação deve ser feita sob refrigeração por no máximo até três dias, em vidros, que reduzem a perdas nutricional. Acrescentar semente de gergelim colabora com a quantidade maior de cálcio.
- O consumo de leites vegetais a base de oleaginosas não é recomendado para crianças com menos de dois anos, pois podem causar alergias.
- Algumas pessoas podem não apreciar o sabor natural do extrato. Mas há solução. Basta bater com frutas, ou com uma colher de chá de canela e dois cravos, com açúcar (mascavo, demerara). Também pode ser usado adoçante a gosto. Outra opção é adicionar uma colher de essência de baunilha e duas colheres de sobremesa de chocolate em pó meio amargo.
Faça você mesmo!
Leite de soja
Deixe 2 xícaras de soja em grãos (200g) em remolho na água de 8 a 12 horas (uma medida de soja crua para 5 medidas de água).
Esfregue os grãos com as mãos, dentro da água, para retirar mais da metade das cascas.
Jogue fora a água do remolho, acrescente 1,5 litro de água morna e ½ colher de café de sal. Bata no liquidificador. Misture bem a massa de soja com a água e leve ao fogo para ferver, mexendo sempre, para não grudar no fundo da panela. Quando for fervendo, coloque um pouco de água gelada para baixar a fervura por mais duas vezes, até o extrato estar cozido. Isso leva de 15 a 20 minutos.
Coe em uma peneira bem fina ou tecido de voal; esprema bem para retirar todo o líquido. Se ficar muito grosso, ir colocando água (cerca de 1 a 1 ½ copos de água)
Conserve em vidro na geladeira para consumo em até 3 dias.

Escrito por:

Nathália Gombrade