Publicado 20 de Abril de 2018 - 8h02

Por Maria Teresa Costa

Células fotovoltaicas: BYD se compromete a fundar centro de pesquisas na Universidade Estadual de Campinas

Cedoc/RAC

Células fotovoltaicas: BYD se compromete a fundar centro de pesquisas na Universidade Estadual de Campinas

Os investimentos privados em pesquisa e desenvolvimento científico na região de Campinas saíram de U$ 43,5 milhões (R$ 149,1 milhões) em 2016 para U$ 86,2 milhões (R$ 295,4 milhões) em 2017, um crescimento de 98% no período, segundo a Fundação Seade. O valor corresponde a 62% dos investimentos nessa área, anunciados para o Estado de São Paulo no ano passado.

De acordo com a Seade, os valores são maiores, porque muitos dos anúncios feitos por empresas não vieram acompanhados de informações sobre o montante investido. Foram os casos, por exemplo, da inauguração do Centro de Agricultura de Precisão e Inovação da John Deere e a abertura de empresa de soluções de softwares baseadas no SAP Business One, pela Ramos Sistemas, ambas em Campinas.

Um dos investimentos foi anunciado pela chinesa BYD, para a fundação de um Centro de Pesquisas Fotovoltaicas na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). O compromisso prevê o repasse de mais de R$ 5 milhões até 2020 para parcerias em atividades de pesquisa e desenvolvimento científico e tecnológico. É uma contrapartida do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico da Indústria de Semicondutores e Displays (Padis), do governo federal, no qual a empresa está inscrita. O aporte será feito anualmente e de forma gradual, sempre em função do faturamento em Pesquisa e Desenvolvimento. No ano passado e neste ano, o porcentual é de 4% e em 2019 e 2020 chega a 5% do faturamento líquido no mercado interno.

Outro investimento na região de Campinas foi a inauguração do Centro de Tecnologia da norte-americana Solenis, na fábrica de Paulínia, com a instalação de dois reatores, além da expansão da unidade de Araraquara e melhoria de processos produtivos, para ampliar a oferta de aditivos para o mercado de celulose e papel, mineração, açúcar e etanol e para tratamento de efluentes, especialmente no setor sucroalcooleiro.

A norte-americana P&G anunciou a implantação do centro de inovação, em Louveira, para desenvolver novos produtos de higiene e limpeza, e pesquisas sobre comportamento e tendências junto aos consumidores da região. Em Monte Mor, a suíça Tetra Pak inaugurou seu primeiro Centro de Inovação ao Cliente no País, para desenvolver novas embalagens cartonadas para a indústria de alimentos e bebidas.

Semicondutores

Outros empreendimentos de destaque foram destinados a Campinas, como a implantação do laboratório para novos produtos e processos de semicondutores, pelo Instituto de Pesquisas Eldorado em parceria com a norte-americana Smart Modular Technologies.

Além disso foi anunciado investimento no desenvolvimento de projeto para identificar substâncias bioativas em extratos vegetais da biodiversidade brasileira, no Centro Nacional de Pesquisas em Energia e Materiais (CNPEM), em parceria com a Aché e a Phytobios, visando descobrir novos medicamentos nas áreas de oncologia e dermatologia. Além disso foi inaugurado espaço de cocriação de experiências digitais pela CI&T, para buscar novas aplicações práticas de tecnologias de ponta, como internet das coisas e Machine Learning.

Escrito por:

Maria Teresa Costa