Falso médico, que fazia residência no HC, é detido
Publicidade

Publicado 07/11/2017 - 22h02 - Atualizado 07/11/2017 - 22h02

Por Inaê Miranda/AAN

Ele teria atuado em aproximadamente dez plantões no centro cirúrgico como estagiário e utilizava o registro e receituário de outro médico

Divulgação

Ele teria atuado em aproximadamente dez plantões no centro cirúrgico como estagiário e utilizava o registro e receituário de outro médico

Um falso médico foi detido pela Polícia Militar na manhã de terça-feira, em Campinas, após passar cerca de duas semanas atuando no Hospital de Clínicas (HC) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Vitor Sabino Antunes, de 19 anos, era estudante de fisioterapia e estava com a faculdade trancada. Ele teria atuado em aproximadamente dez plantões no centro cirúrgico como estagiário e utilizava o registro e receituário de outro médico que também se chamava Vítor. Foi registrado boletim de ocorrência e o acusado liberado porque não houve flagrante. Ele vai responder por falsidade ideológica. O HC vai abrir uma sindicância hoje para investigar o caso.
A polícia chegou a Antunes após um segurança entrar em contato informando sobre um possível falso médico. Em contato com a direção do Hospital de Clínicas, um médico informou aos policiais que já estava suspeitando da atuação do estudante e que Vítor já teria trabalhado em dez plantões. Os policiais foram até o alojamento dos médicos, onde detiveram o suspeito, que estava com uniforme do Centro Cirúrgico. Ele não ofereceu resistência e disse que permaneceria em silêncio.
Segundo os policiais, o falso médico, que é morador de Americana, usava uma carteira da Unicamp sem identificação, com a qual tinha acesso ao hospital e medicava usando o nome e o CRM de um médico residente do hospital que também se chamava Vítor. O detido cursou fisioterapia em uma faculdade da região até o ano passado.
A ocorrência foi registrada no 7º Distrito Policial, e o jovem vai responder por falsidade ideológica. A polícia informou que trabalha para identificar pacientes atendidos por ele.
A superintendência do hospital informou que a detenção ocorreu após a equipe de profissionais da Urgência desconfiarem do comportamento do rapaz, e que após checagens foi confirmada a falsidade e acionadas as autoridades.
“O HC está à disposição das autoridades para devidos esclarecimentos, além dos prestados na delegacia”, informou o hospital. O HC foi questionado se tinha controle dos pacientes atendidos e se serão chamados para passar por nova consulta, e informou que os detalhes estão sendo apurados.
O Conselho Regional de Medicina (Cremesp) informou por nota que repudia o exercício ilegal da profissão e que abriu sindicância para apurar o caso.

Escrito por:

Inaê Miranda/AAN