Quatro anos com o papa Francisco
Publicidade

Publicado 20/03/2017 - 18h27 - Atualizado 20/03/2017 - 18h28

Por Messias Martins

O Papa Francisco completa no dia 13 do corrente mês, quatro anos na liderança Católica com um pontificado marcado pela ênfase aos princípios originais da Igreja, pelo posicionamento firme e pela quebra de tabus. Ao longo deste período, o Pontífice foi responsável por momentos históricos, como o acordo de retomada de relações entre Cuba e Estados Unidos, o encontro com o patriarca de Moscou e a participação nas celebrações dos 500 anos da Reforma Luterana, e o apoio às negociações de paz na Colômbia e na Venezuela.
Cardeal Bergoglio foi eleito em 13 de março de 2013, no segundo dia do Conclave, escolhendo o nome de Francisco. Ele foi o primeiro Jesuíta a ser eleito Papa. Ao ser eleito, na Capela Sistina, perguntaram a Bergoglio se aceitava. “Eu sou um grande pecador. Mas, confiando na misericórdia e paciência de Deus, no sofrimento, aceito”, respondeu. 
Papa Francisco apareceu ao povo que o aguardava naquela noite na sacada central da Basílica Vaticana. Vestindo apenas a batina branca papal, dirigiu-se à multidão presente na Praça São Pedro, dizendo: “Irmãos e irmãs, boa noite! Vocês sabem que o objetivo do Conclave era eleger o bispo de Roma. Meus irmãos cardeais foram buscá-lo quase ao fim do mundo… Por isso, eis-me aqui! Agradeço a todos pela acolhida. Agora, a comunidade diocesana de Roma tem o seu bispo. Obrigado!”. A seguir, Francisco acrescentou: “E agora iniciamos este caminho, o Bispo com seu Povo”... o caminho da Igreja de Roma que preside a todas as outras Igrejas na caridade. Um caminho de fraternidade, de amor, de mútua confiança. Rezemos sempre uns pelos outros. Rezemos por todo o mundo, para que haja uma grande fraternidade. Espero que este caminho eclesial, que hoje começamos, com a ajuda do Cardeal Vigário, aqui presente, seja frutuoso para a evangelização desta Cidade tão bela! O novo Papa concedeu então a sua Bênção Apostólica.
Antes, porém, pediu um favor aos presentes: “Antes que o Bispo abençoe o povo, peço-lhes que rezem ao Senhor para que me abençoe: é a oração do povo, pedindo a Bênção para o seu Bispo. Façamos em silêncio esta oração por mim”.
O Papa inclinou a cabeça, em sinal de oração, e todos na Praça fizeram silêncio por alguns momentos. Por fim, Francisco deu a sua primeira Bênção “Urbi et Orbi”, aos fiéis de Roma e do mundo inteiro, e concluiu desejando a todos “Boa noite e bom descanso!”. Em sua trajetória ao longo desses quatro anos, Papa Francisco tem conduzido a Igreja pregando a humildade e a fraternidade, criticando a ganância do mundo moderno, a corrupção e o apego à riqueza e à idolatria. Palavras que ganham importância histórica e relevância imprescindíveis no mundo de hoje. Este quarto ano de papado foi intenso. Foi o ano da Exortação Apostólica Amoris Laetitia e do abraço histórico com o Patriarca Kirill em Cuba, o ano da Jornada Mundial da Juventude de Cracóvia, e da visita ao campo de concentração de Auschwitz, da canonização de Madre Teresa de Calcutá e da viagem ecumênica a Lund, na Suécia, pelos 500 anos da Reforma Protestante. 
O Santo Padre mostra que, assim como pregou para os jovens no Rio, tem a coragem de “ir contra a corrente” para resgatar os verdadeiros e principais valores da Igreja. 

Escrito por:

Messias Martins