Escritor campineiro lança 'A Instrução da Noite'Entretenimento
Publicidade

Publicado 20/02/2016 - 17h03 - Atualizado 22/02/2016 - 16h11

Por João Nunes/Especial para o Correio Popular

Escritor Mauricio Almeida lança o livro 'A Instrução da Noite'

DIVULGAÇÃO

Escritor Mauricio Almeida lança o livro 'A Instrução da Noite'

O nome de Campinas não aparece nenhuma vez em 'A Instrução da Noite' (Rocco, 141 págs.), de Maurício de Almeida, que será lançado quinta-feira (25) na Livraria Cultura. Contudo, a cidade está indelevelmente impressa nas páginas do romance. A começar pela capa: Sylvana Lobo fotografou a escultura das andorinhas criada pelo artista plástico Lélio Coluccini (1910-1983), instalada em frente ao Museu de Arte Contemporânea (Macc).
E logo na primeira das três partes do romance, o narrador remete a uma igreja, sem citar o nome, mas fica fácil saber onde o protagonista toma cerveja com o pai em doloroso reencontro: a praça Antônio Pompeu, em frente à basílica do Carmo. A pista vem da frase “...frente à basílica aberta, a estátua cinza e suja de Carlos Gomes regendo a tarde...”
Mas, se as pistas geográficas apontam para a aldeia de Maurício (campineiro formado em antropologia na Unicamp, que hoje mora em Brasília), a história criada por ele é universal. Rapaz recebe a visita do pai que sumiu muitos anos atrás e este lhe causa dupla decepção: não justifica o sumiço e lhe faz um pedido desconcertante.
Longe do convencional (algo bem-vindo em um mundo de obviedades), a escrita de Maurício é uma prosa sofisticada, fluida e amadurecida em relação a Beijando Dentes (Record, 2007, livro de contos ganhador do Prêmio Sesc). E mantém o interesse pela forma, mas não impede o leitor de desfrutar o conteúdo.
E supera a difícil tarefa porque explora o que o ser humano tem de mais elementar: dores primordiais, como a desolação do protagonista em ver o pai partir e, por ser criança, nada poder fazer; ou revê-lo e não conseguir acessá-lo tantos anos depois, ou se comover com a mãe dissociada da realidade assistindo TV como último refúgio, ou ainda, visitar antiga casa em ruínas onde supõe existir resquícios de tempos menos duros.
Não há acontecimentos espetaculares, ao ponto de os conflitos parecerem abstrações e estarem apenas na cabeça do personagem. Este se debate por não entender a partida do pai, porque a irmã também se foi, a relação com a mulher se esgotou, a mãe vive como espectro e ele não consegue tomar uma atitude.
Porém, são dramas legítimos resumidos na angustiante frase: “e mais uma vez estou sozinho”. A casa em ruínas onde viveu antes do desmoronamento familiar é a principal metáfora de um homem sofrido e perplexo incapaz de lidar com os dramas e impossibilitado de transpor obstáculos. Por isto, o romance pode ser definido como evocação escrita para a irmã como pedido desesperado de cumplicidade.
Evocação
Maurício se vale desse recurso narrativo e o carrega de comovente ternura sem nunca ultrapassar a fronteira; usa-o na proporção e temperatura justas. “Lembra-se do áspero de seu rosto nos arranhando num beijo, Teresa?” “Como você fez para sumir?” “A noite aqui continua feita de sons metálicos de freios, ouça”. “Era a mãe quem me acordava pela manhã abrindo as luzes do quarto com delicadeza?” “Você ainda esconde as mãos debaixo do travesseiro para dormir?”
Sequência de capítulos curtos e frases enxutas e secas formam a estrutura. Uma palavra solta ou dentro de parênteses ou precedida de travessão descrevem melhor os sentimentos do que muitas sentenças ou parágrafos, como (abracadabra) para referir-se ao sumiço do pai. Ou, — mãe, na tentativa aflita de se comunicar com a mãe.
Com texto elegante, Maurício tece a trajetória dos personagens com arcos dramáticos próprios e estudados e com um ritmo caudaloso. Isto até o desfecho, quando ocorre a explosão de poderosa catarse capaz de mexer com as emoções mais escondidas.
Ao terminar o romance fica claro ao leitor que Maurício não se interessa pela literatura que passa sem deixar rastro, mas por aquela que permanece. Pois A Instrução da Noite possui qualidades literárias suficientes para que se cumpra a expectativa de seu jovem autor.
SERVIÇO
O quê: Lançamento do livro A Instrução da Noite, de Maurício de Almeida
Quando: Dia 25, quinta-feira, a partir de 19h.
Onde: Na Livraria Cultura do Shopping Iguatemi (Avenida Iguatemi, 777, Piso 1, Vila Brandina, telefone 19 3751.4033 )
Quanto: R$ 19,50

Escrito por:

João Nunes/Especial para o Correio Popular