Campinas chega à capacidade de tratar 100% do esgoto
CORREIO.COM.BR

Comunicar erro
[X]

Você encontrou algum erro? Seja ele técnico, gramatical e até mesmo de informações, entre em contato e nos comunique.

Campinas chega à capacidade de tratar 100% do esgoto


Entregas abrirão caminho para que a cidade seja a primeira do País com mais de um milhão de habitantes a ter 100% de capacidade instalada para tratamento de esgoto

EM AGOSTO

Campinas chega à capacidade de tratar 100% do esgoto

Entregas abrirão caminho para que a cidade seja a primeira do País com mais de um milhão de habitantes a ter 100% de capacidade instalada para tratamento de esgoto

26/07/2015 - 05h00 - Atualizado em 25/07/2015 - 18h42 | Da Agência Anhanguera
correiopontocom@rac.com.br

Foto: Elcio Alves/ AAN
Construção das três estações de tratamento atendem ao Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado pela Sanasa com o Ministério Público (MP) em 2012, para tratar 100% do esgoto até 2016
Construção das três estações de tratamento atendem ao Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado pela Sanasa com o Ministério Público (MP) em 2012, para tratar 100% do esgoto até 2016

A Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S/A (Sanasa) entrega em agosto as Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs) Nova América e San Martin, abrindo caminho para que a cidade seja a primeira do País com mais de um milhão de habitantes a ter 100% de capacidade instalada para tratamento de esgoto.

A universalização do saneamento será atingida com a construção da ETE Boa Vista, prevista para ficar pronta em 18 meses.

A autorização para a contratação da empresa responsável pela obra foi assinada na última quarta-feira pelo prefeito Jonas Donizette (PSB) e pelo presidente da Sanasa, Arly de Lara Romêo.

A construção das três estações de tratamento atendem ao Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado pela Sanasa com o Ministério Público (MP) em 2012, para tratar 100% do esgoto até 2016.

Com capacidade para tratar 92 litros por segundo e 106 quilômetros de rede de esgoto, a ETE Nova América recebeu investimentos de R$ 43,1 milhões, dos quais R$ 25,3 milhões do governo federal e R$ 17,7 milhões da Sanasa.

A estação vai beneficiar diretamente 35 mil pessoas de 19 bairros da região do Aeroporto de Viracopos, como Cidade Singer, Jardim Campo Belo e Jardim São Domingos.

A ETE San Martin, por sua vez, terá capacidade de tratamento de 19 litros por segundo e beneficiará sete mil habitantes da região do Matão.

O investimento total foi de R$ 13,8 milhões - R$ 3 milhões do PCJ e R$ 10,8 milhões da Sanasa.

"As obras já estão prontas e só estamos fazendo os testes na estação para iniciarmos a operação. Deixamos os tanques fazendo os testes. Com essas duas e mais a ETE Boa Vista teremos capacidade instalada para tratar 100% do esgoto produzido na cidade de Campinas. Esse é um marco histórico para a cidade de Campinas", explicou o diretor-técnico da Sanasa, Marco Antonio dos Santos.

As duas obras foram iniciadas ainda no governo Hélio e paralisadas em 2012 por causa das denúncias de corrupção envolvendo a Sanasa. As construções das estações Nova América e San Martin foram retomadas em janeiro e setembro do ano passado, respectivamente.

Santos lembrou que Campinas é uma das poucas cidades que terá condições de tratar 100% do esgoto com nível elevado de eficiência e qualidade.

"É importante ressaltar que tem cidade que fala que trata 100% do esgoto, mas trata no nível primário. O esgoto chega numa lagoa e trata com 60%, 70% de eficiência. A Sanasa está colocando estações a nível terciário, ou seja, além de remover o carbono, remove fósforo e nitrogênio. São poucas cidades que tem essa capacidade", acrescentou.

Medidas contra a seca

O diretor da Sanasa afirmou que a empresa está buscando alternativas para reduzir a dependência de Campinas do Sistema Cantareira e evitar um colapso hídrico no período de seca. Uma das medidas que está sendo avaliada é a possibilidade de utilizar a água de reúso produzida na Estação Produtora de Água de Reúso (Epar).

"Estamos contratando um estudo com o professor Ivanildo Hespanhol, da Universidade de São Paulo (USP), para ver a viabilidade de usar a água da Epar, ou fazer uma recarga direta na rede ou no manancial. Ele vai fazer esse estudo para ver o que é mais viável economicamente e tecnicamente", contou.

Outra possibilidade em estudo pela Sanasa é a construção de um reservatório para armazenar água e ficar menos dependente da vazão do Rio Atibaia.

"Estamos estudando pesado para viabilizar um barramento para a cidade de Campinas, para ficar independente dessa situação. Está em estudo e não dá para falar muita coisa. vamos preparar Campinas para os próximos 50 anos" .

ETE Nova América
Investimento total: R$ 43,1 milhões
Repasse: R$ 25,3 milhões (PAC)
Contrapartida: R$ 17,7 milhões
População atendida: 35,3 mil habitantes
Capacidade de tratamento: 92 litros por segundo
Bairros atendidos: 19 bairros

ETE San Martin
Investimento total: R$ 13,8 milhões
Repasse: R$ 25,3 milhões (PAC)
Contrapartida: R$ 10,8 milhões
População atendida: 7 mil habitantes
Capacidade de tratamento: 19 litros por segundo
Bairros atendidos: 7 bairros



Siga-nos nas redes sociais
Tempo Agora Cinema horoscopo estrada aeroportos transito