Publicado 25 de Junho de 2015 - 17h00

Por Maria Teresa Costa

Expectativa é agilizar o contato entre as instituições de pesquisa e ensino e as indústrias, que possam adotar as tecnologias geradas

Cedoc/RAC

Expectativa é agilizar o contato entre as instituições de pesquisa e ensino e as indústrias, que possam adotar as tecnologias geradas

Os institutos de pesquisas da Secretaria de Agricultura e Abastecimento instalados em Campinas, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e a Associetech Techno Park Campinas vão se unir a Associação Agropolis Internacional, com sede em Montpellier, na França, para trabalho de cooperação voltado ao desenvolvimento agrícola sustentável, visando especialmente cooperação técnica na área de alimentos.

O acordo de cooperação será assinado na sexta-feira (26), na cerimônia de 128 anos do Instituto Agronômico de Campinas (IAC).

De acordo com a secretaria, a expectativa é agilizar o contato entre as instituições de pesquisa e ensino e as indústrias, que possam adotar as tecnologias geradas. Esse resultado, segundo o secretário Arnaldo Jardim, deverá ser alcançado por meio do desenvolvimento de projetos de cooperação.

Esse sistema será também uma forma de acelerar a inovação tecnológica, aumentar a competitividade das organizações envolvidas e ampliar as fontes de financiamento para ciência. Não haverá repasse de recursos entre as partes. O acordo tem vigência de cinco anos, podendo ser renovado.

Criada em 1986 por iniciativa dos Ministérios da Pesquisa, da Cooperação e da Agricultura, a Associação Agropolis International agrupa os estabelecimentos agronômicos de pesquisa, de ensino superior e as universidades que trabalham nas áreas da agricultura, alimentação e meio ambiente.

Com sete campi equipados, 2.200 pesquisadores e docentes e mais de 7 mil estudantes e estagiários, essa comunidade científica e de formação constitui, nas áreas da agronomia, do desenvolvimento sustentável e do meio ambiente, uma das maiores concentrações mundiais de especialistas em desenvolvimento econômico das regiões mediterrâ neas e tropicais.

Essa reunião de recursos e de qualificações atraiu equipes internacionais e estrangeiras que reforçam a capacidade de pesquisa e portanto de obtenção de resultados utilizáveis pelas empresas.

Além do Instituto Agronômico de Campinas, participarão do acordo o Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital) e o Instituto Biológico (IB).

O acordo de cooperação, informa a Secretaria de Agricultura, visa estabelecer intercâmbio entre as partes, por meio da implementação de projetos de cooperação técnica nas áreas de agricultura, alimentação, biodiversidade, bioenergia, química verde e desenvolvimento sustentável.

Conforme consta no documento, essas atividades devem envolver pesquisa, desenvolvimento e inovação tecnológica, com extensão a outras instituições de pesquisa e empresas, que atuem nesses segmentos e estejam sediadas no entorno de Campinas e de Montpellier. Essa região francesa reúne propriedades agrícolas, onde é feito o cultivo de videiras e o engarrafamento de vinhos, no mesmo local.

A parceria cria também a possibilidade de intercâmbio entre os participantes a fim de contribuir com a formação de recursos humanos. Montpellier tem universidades bem avaliadas.

Campinas oferece a excelência do ensino da Unicamp e os cursos de pós-graduação existentes no Instituto Agronômico, Instituto Biológico e Instituto de Tecnologia de Alimentos, com programações diferenciadas pela intensa participação dos pós-graduandos nas atividades científicas de cada instituto.

Escrito por:

Maria Teresa Costa