CORREIO.COM.BR
JOSÉ DE NADAI

Domingo, dia do Senhor!

28/04/2015 - 05h00 - Atualizado em 17/17/2015 - 17h07 | Padre José De Nadai
igpaulista@rac.com.br

Vem de muito longe, da mais antiga tradição cristã, desde o início do primeiro século de nossa era, o costume de os cristãos se reunirem no primeiro dia da semana, o domingo, para celebrar a Ressurreição do Senhor. O domingo pode ser considerado, portanto, uma instituição da Igreja Apostólica, da primeira geração de cristãos. O Senhor ressuscitou no primeiro dia da semana, daí sua denominação, dia do Senhor.
As aparições do ressuscitado aos apóstolos, aos discípulos e às mulheres discípulas, aconteceram no domingo. A vinda do Espírito Santo também aconteceu no domingo “quando todos estavam reunidos no mesmo lugar!”
É sabido que o povo judeu se reunia aos sábados no templo e em suas sinagogas para celebrar as maravilhas de Deus, especialmente a criação, a libertação da situação de escravos e a aliança aos pés do Monte Sinai – Eu sou vosso Deus, o único Senhor e vós sois o meu povo. O sábado continua sendo o dia do culto e do repouso para as Comunidades Israelitas.
Os cristãos, porém, celebram a sua Páscoa e a nova e definitiva aliança de Deus com o novo povo, no domingo, devido à ressurreição de Jesus Cristo. O conteúdo essencial do domingo, consiste na reunião dos cristãos em Assembléia, na qual o Senhor se torna presente – como acontecia em suas aparições depois da ressurreição – pela Palavra e especialmente pela Eucaristia, lugares privilegiados e sacramentos (sinais) da presença viva do Ressuscitado.
“Neste sentido, o domingo não é mera transposição do sábado dos judeus para os cristãos. A criação, a redenção e a nova criação em Cristo são celebradas e pela celebração tornam-se presentes, sobretudo pela Assembléia Eucarística dominical, com tudo o que comporta.Todavia, temos um longo caminho a percorrer até que os católicos tomem consciência do profundo sentido religioso e sacramental do domingo, como o dia do encontro dos filhos na casa do Pai e dos discípulos de Jesus em torno da mesa da Palavra e do Pão para a celebração da Ceia do Senhor.
Ao longo da semana os cristãos estão dispersos pela cidade nos seus afazeres: pessoal, familiar, profissional e social.No domingo são convidados ao repouso e ao descanso e convocados como Igreja para a celebração dos sagrados mistérios na alegria do encontro de irmãos. As comunidades cristãs que não podem ter a Eucaristia, reúnem-se em Assembléia para a celebração dominical da Palavra, que torna presente o Mistério Pascal no amor que congrega, na palavra acolhida e na oração comunitária (Documento de Aparecida 253).
A legislação trabalhista (CLT) prescreve um descanso semanal de 24 horas seguidas, o qual deverá coincidir com o domingo, salvo motivo de conveniência pública ou necessidade imperiosa do serviço. Infelizmente, a vida moderna, pautada muito mais pelas leis do mercado, do lucro e do consumo do que pelas necessidades humanas de repouso, descanso e religiosas (de qualquer culto), consegue tantas brechas que os trabalhadores muitas vezes ficam privados desse benefício. Faça do Domingo um Ponto de encontro com o Senhor e com os irmãos na fé.