Publicado 16 de Abril de 2015 - 18h06

Em parceria com a Sucen, Prefeitura iniciou ações de combate ao mosquito Aedes aegypti

Divulgação

Em parceria com a Sucen, Prefeitura iniciou ações de combate ao mosquito Aedes aegypti

O número de casos confirmados de dengue nos 20 municípios da Região Metropolitana de Campinas (RMC) saltou de 3.765 em 18 de março para 28.872 nesta quinta-feira (16), segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde. O aumento é de 666,8%. Há ainda outros 22.273 mil casos notificados da doença, considerados suspeitos e aguardando confirmação, até o dia 16 de abril.

Há um mês, eram 19 mil casos notificados. Sumaré, com 5098 casos confirmados, é o primeiro município com maior incidência da doença na região, com 1,943.51 casos para cada 100 mil habitantes. Em segundo lugar está Santo Antônio de Posse, com 1,892.37. Campinas, que tem 20.380 casos confirmados, é o terceiro município com maior incidência da doença na região. São 1,781.4 casos para cada 100 mil habitantes.

O cálculo leva em consideração a divisão de casos confirmados pela população, multiplicado por 100 mil. As bases usadas para a conta foram do Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE) do Estado de São Paulo, Ministério da Saúde e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Algumas cidades da RMC divulgaram dados mais recentes que o balanço estadual, mas para comparação é necessário utilizar a mesma data de fechamento do levantamento. O banco de dados do Estado é alimentado pelas Prefeituras de São Paulo.

Em número de casos absolutos, Campinas também está em 1º lugar, com 20.380 casos confirmados, de acordo com dados da Secretaria Estadual de Saúde. No entanto, o número mais recente foi divulgado esta semana pela Prefeitura, totalizando 22.544 casos. Morungaba, por outro lado, tem 0 casos confirmados - e 10 sob suspeita.

Além de Campinas, Sumaré e Americana também tem altos números de casos confirmados.

Em Americana, o balanço indica 1.029 casos confirmados, e foi divulgado pela Secretaria de Saúde do município na quarta-feira. O levantamento aponta ainda que duas mortes suspeitas estão sob investigação. A cidade também suspendeu a sorologia, assim como Campinas.

Campinas causa preocupação por que em 2014 o número de infectados foi um dos maiores da década. Campinas viveu a maior epidemia da história, contabilizando mais de 40 mil casos. Cidades da macrorregião - Itapira - também passam por surtos este ano.

As temperaturas recordes do início do ano contribuíram para a expansão, uma vez que o calor acelera o metabolismo e a reprodução do Aedes aegypti. Ano passado, até o dia 14 de abril, a RMC tinha 9.835 casos confirmados da doença. Em todo o ano de 2013, os municípios da RMC tiveram cerca de 15 mil pessoas infectadas pelo mosquito da dengue.

Campinas

O secretário de Saúde, Carmino de Souza, afirmou hoje que até a metade de abril, cerca de 600 pacientes foram confirmados com dengue, o que indica um arrefecimento da epidemia. Isso ocorre porque, em março, mais de 14 mil casos foram confirmados. Geralmente, o mês do pico da epidemia é abril, mas a Secretaria de Saúde trabalha com a possibilidade da epidemia estar "adiantada" este ano.

Se mantiver a tendência de arrefecimento, Souza acredita que em maio haverá queda no número de casos. "Estamos acompanhando os números, é preciso ter precaução. Se não houver mudanças no cenário, como temperatura, podemos comprovar o arrefecimento", disse.

Sumaré e Posse

A Prefeitura de Sumaré foi procurada por e-mail e telefone para comentar os números, mas não respondeu.

A Prefeitura de Santo Antônio de Posse, por meio de assessoria de imprensa, informou que conta com o apoio de uma empresa especializada em nebulização para realizar o combate a dengue na cidade.

Esse reforço de pelo menos 15 homens está fazendo o combate ao mosquito Aedes aegypti, que causa dengue e chikungunya.

Além da nebulização, a equipe faz a limpeza dos criadouros em locais públicos e a conscientização da população.

É fundamental que a população faça a limpeza dos criadouros em casa, já que 80% das larvas são encontradas em residências, e apenas 20% em locais públicos.

Município Notificados (apuração) Total de Casos Incidência por cem mil habitantes: 

Americana 2.624 361 159,05

Artur Nogueira 377 28 56,74

Campinas 25.726 20.380 1.781.4

Cosmópolis 317 24 36,56

Engenheiro Coelho 629 121 666,55

Holambra 260 135 1.034,7

Hortolândia 4088 439 206,56

Indaiatuba 847 93 41,04

Itatiba 84 10 8,95

Jaguariúna 863 563 1.110

Monte Mor 753 107 196,46

Morungaba 11 0 0

Nova Odessa 905 134 239,25

Paulínia 1136 358 375,96

Pedreira 357 23 51,05

S.B. D'Oeste 1991 308 162,76

S.A. de Posse 760 413 1,892.37

Sumaré 7802 5098 1,943.51

Valinhos 746 163 137,77

Vinhedo 1169 114 160,07

Total 51.145 28.872 1.037,3

Fonte: Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE) do Estado de São Paulo, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e Ministério da Saúde