Publicado 03 de Janeiro de 2015 - 5h00

Por Da Agência Anhanguera de Notícias

Frequentadores do Centro de Convivência lamentam a queda de árvore
centenária

Janaína Ribeiro/ Especial a AAN

Frequentadores do Centro de Convivência lamentam a queda de árvore centenária

Os temporais das duas últimas semanas, com fortes chuvas acompanhadas por muito vento, provocaram a queda de dezenas de árvores em Campinas. Mais de 80 foram retiradas pela Prefeitura. Uma delas, uma antiga “moradora” do Centro de Convivência Cultural (CCC), no Cambuí, foi removida parcialmente e o trabalho será concluído na próxima semana pelos funcionários do Departamento de Parques e Jardins (DPJ).

Desde a queda da gigante, moradores da vizinhança lamentam o desaparecimento da árvore, que ficava próxima à Rua Antonio Cesarino. “Ela estava aqui há mais de 50 anos. Moro na região há muitos anos e lembro dela quando a área ainda era um parque. Brinquei muito à sombra da árvore. Uma grande pena que parte dela tenha caído. Ela vai fazer muita falta”, disse o aposentado Valter Martins Moreno, de 80 anos. Ele acredita que é necessário realizar uma manutenção permanente nas árvores dos parques para evitar doença e queda.

 

Sombra e energia

A aposentada Aglaia Marinho Couto, de 84 anos, mãe da pedagoga Mônica Couto Doraires, de 55 anos, sempre buscava renovar as energias se refrescando embaixo da imensa sombra da árvore. “Ela caiu próximo do Natal. Lembro que a minha mãe sempre falava para o meu pai que gostava de sentir a energia daquela árvore. É muito triste ver que não sobrou quase nada dela”, afirmou a pedagoga.

 

Ela lembrou que os bancos que ficam próximos da árvore sempre estavam ocupadas. Para a moradora, a ocupação desordenada no espaço urbano influencia na saúde das árvores. “Minha mãe mora em um dos prédios que fica bem aqui ao lado. Olhando de cima ficou um clarão na área do Centro de Convivência. Antes tudo era coberto pela copa da árvore. Triste a queda dessa gigante. Gostaria muito que conseguissem tratar o que restou dela”, afirmou a filha Mônica.

 

Retirada

 

A grande árvore caiu com as chuvas da semana do Natal, na tarde de 23 de dezembro, e a operação para a sua retirada envolveu, a partir do dia 24, quatro equipes do DPJ, além de outros técnicos. Motosserras e caminhões foram usados para o corte e coleta de tronco e galhos, e desobstrução do espaço.

 

Na chuva da semana passada, foram registradas duas quedas de árvores no Centro de Convivência. Uma árvore caiu do lado da Rua São Pedro e a grande árvore que caiu do lado da Rua Antônio Cesarino.

Escrito por:

Da Agência Anhanguera de Notícias