Nova greve de garis surpreende piracicabanos

iG Paulista - 12/04/2014 - 14h15 |
Adriana Ferezim | adriana.ferezim@gazetadepiracicaba.com.br

Sacos de lixo estão acumulando nas ruas da cidade desde a noite de quinta-feira, quando teve início a greve
Foto: Antonio Trivelin
Sacos de lixo estão acumulando nas ruas da cidade desde a noite de quinta-feira, quando teve início a greve
População, empresa e até mesmo o sindicato dos trabalhadores no serviço de limpeza urbana de Piracicaba foram surpreendidos por uma nova paralisação dos garis neste ano. A greve teve início na noite de quinta-feira e os sacos de lixo já acumulam nas ruas da cidade. Em janeiro eles ficaram dois dias e meio sem trabalhar e pressionam por um reajuste salarial de 20%.


Nesta sexta-feira (11), moradores da Vila Monteiro estranharam que o caminhão da coleta com os garis não passou na rua Alexandre Herculano, ficando o lixo na rua. Por toda a cidade eram encontrados sacos e caixas com lixo nas esquinas, postes e lixeiras. A população teme a proliferação de insetos e ratos nas ruas.


De acordo com Renata Aguiar Souza, presidente do Sindicato dos Empregados em Empresas de Asseio e Conservação e trabalhadores na Limpeza Urbana e Áreas Verdes de Piracicaba e Região (Siemaco), a entidade e a empresa Piracicaba Ambiental estão em processo de negociação. "Eles reivindicam reajuste de 20%, a empresa ofereceu 10% e eles decidiram pela paralisação, não aguardaram o término da negociação. Fomos surpreendidos com essa decisão e estamos conversando com os trabalhadores", disse.


Segundo Renata, ontem os garis afirmaram que só voltam ao trabalho se a empresa garantir o pagamento dos 20% de reajuste dos salários. "Na segunda-feira teremos a realização de uma assembleia".


O salário atual da categoria é de R$ 862,00, conforme Renata e o vale-alimentação/refeição é de R$ 407,00. Ela estima que cera de 150 garis atuam no serviço de limpeza pública de Piracicaba.


Em nota divulgada no final da tarde desta sexta, a Piracicaba Ambiental informou que também foi surpreendida pela paralisação súbita. "Apresentamos aos trabalhadores, uma proposta de reajuste de 10% sobre os salários e o vale-refeição/alimentação, aplicáveis a partir de 1º de março de 2014, contra um percentual do INPC, que no período foi de 5,38%. Ou seja, a proposta apresentada foi superior ao índice de inflação que norteia as reposições salariais".


Segundo a empresa, dos 10% propostos, já foram antecipados 7%. "Os trabalhadores já receberam este aumento no salário pago no 5º dia útil deste mês. Também garantimos outra antecipação para os salários dos coletores e varredores, a partir de 1º de agosto de 2014".


A Piracicaba Ambiental revelou que inicialmente os trabalhadores pleiteavam um reajuste salarial de 17%. "Com a paralisação súbita aumentaram o pedido para 20%, e agregaram outras pretensões".


Em razão do impasse, a empresa instaurou um Dissídio Coletivo no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), que já designou audiência de conciliação para terça-feira (15), às 14h, quando o Tribunal se manifestará sobre o pedido já apresentado pela empresa para a concessão de liminar, para que os trabalhadores mantenham, ainda que em parte, os serviços essenciais.


Como os trabalhadores da coleta de lixo paralisaram totalmente os serviços, e caso não retornem ainda que em parte ao trabalho até a próxima terça- feira, a empresa solicita a todos que evitem colocar os sacos de lixo nas ruas.


Também em nota, a Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente (Sedema) esclareceu que recebeu reclamações sobre a greve dos coletores de lixo e que aguarda a retomada dos serviços. "Caso contrário aplicará as sanções previstas em contrato".