Publicado 12 de Maio de 2021 - 5h30

A Pinacoteca de São Paulo, museu da Secretaria Estadual de Cultura e Economia Criativa, apresenta Distância, primeira exposição de vídeos e filmes pensada especialmente pelo museu para os meios digitais para ser apreciada pelo público durante este período de confinamento social. É também a primeira vez que o museu realiza uma mostra apenas on-line. A ação inédita reúne cinco trabalhos do acervo que podem ser vistos até o dia 3 de agosto no site www.pinacoteca.org.br. A curadoria é de Ana Maria Maia.Foram selecionados os trabalhos: Da janela do meu quarto (2004) de Cao Guimarães; O batedor de bolsa (2011) de Dalton Paula; Tarefa I (1982) de Leticia Parente; 9493 (2011) de Marcellvs L.; e A banda dos sete (2010) de Sara Ramo."Apesar de distintos em tantos aspectos, esses filmes e vídeos têm em comum o ponto de vista de sujeitos por alguma razão apartados de uma sociabilidade imediata. Longe o suficiente para não terem acesso, mas minimamente perto para observarem e comentarem essa condição", explica Ana Maria.9493, do artista Marcellvs L. mostra um garoto dentro de uma barraca de camping centrado no videogame e totalmente indiferente ao vento forte que atinge a barraca, sem nem ligar para a natureza imponente. As imagens foram feitas na Islândia de um ponto de vista fixo. Em Da janela do meu quarto (2004) de Cao Guimarães, o autor retrata duas crianças na chuva por vezes brigando e também brincando.Essas duas obras serão as primeiras da mostra, caracterizadas por situações de voyeurismo, na qual os movimentos de uma outra pessoa são admirados discretamente. Com as perspectivas dos artistas, é possível distinguir briga e comunhão na brincadeira das crianças e até mesmo a conexão tecnológica na solidão do menino.Nos vídeos Tarefa I, de Letícia Aparente, e O batedor de bolsa, de Dalton Paula, o sentido de distância extrapola os limites físicos e entra no campo social. No primeiro, uma empregada doméstica negra passa roupa da artista sem tirá-la do corpo. O movimento causa estranheza e propõe uma reflexão sobre o legado da servidão. Já Dalton Paula problematiza outro estereótipo, enquanto artista negro se coloca no vídeo e persegue uma bolsa feminina com o cassetete na mão e os olhos vendados, como num jogo de cabra cega. A performance faz referência, assim como o título da obra, àqueles que cometem pequenos furtos sem que sejam percebidos. O artista expõe a associação preconceituosa de que jovens, negros e do sexo masculino é que cometem essa criminalidade.Por último em A banda dos sete de Sara Ramo, uma fanfarra de sete músicos toca realizando um movimento repetitivo e contínuo. No entanto a cada volta, o arranjo musical se modifica. Diante da distância imposta em relação à cena, Sara aguça o senso crítico e investigativo do público que passa a suspeitar de todo o discurso, o que possibilita até mesmo a criação de histórias.Ainda sobre a mostra, no sábado (16), às 11h, a conta da Pina no Instagram (@pinacotecasp) realiza uma live com Ana Maria Maia. Todas as ações estão alinhadas com a inciativa #culturaemcasa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo.#pinadecasaO projeto #pinadecasa, lançado pelo museu no dia 18 de março, tem repercutido positivamente entre o público. Desde o início da campanha, a conta da Pina no instagram (@pinacotecasp) ganhou mais de 12 mil seguidores. Nas redes sociais diariamente uma obra da coleção do museu acompanhada de curiosidades, dados históricos e explicações dos curadores é postada. Todo sábado, às 11h, também tem live no instagram da Pina. Já rolaram conversas ao vivo com os curadores sobre a exposição os OSGEMEOS: Segredos; Hudinilson Jr.: Explícito; Marcia Pastore: Contracorpo; Vanguarda brasileira dos anos 1960 - Coleção Roger Wright, sobre o Modernismo, além de um bate-papo com Guilherme Wisnik sobre a arquitetura do prédio histórico.Além disso, é possível fazer uma visita on-line pelo Tour Virtual 3D da Pinacoteca de São Paulo, criado pela Startup iTeleport Vivências Virtuais, que está disponível no site do museu (http://www.pinacoteca.org.br). De janeiro a abril de 2020, as visitas à plataforma já chegam a 23 mil. Ainda pelo Google Arts and Culture (http://bit.ly/3aG3jFA), o público também pode visitar sem sair de suas residências.