Publicado 07 de Maio de 2021 - 5h30

A Mostra Cinema e Reflexão do

Cine CPFL tem sessão debate do filme Albatroz hoje, e exibição de thriller chinês Amor até as cinzas, amanhã. A sessão debate, com as presenças do diretor Daniel Augusto e do roteirista Bráulio Mantovani, abre a programação da semana no Instituto CPFL. Com Alexandre Nero, Andréa Beltrão, Maria Flor, Camila Morgado e Andreia Horta, o filme conta a história de um fotógrafo casado com uma compositora de jingles publicitários que se apaixona por uma atriz judia, com quem viaja a Jerusalém. Lá ele acaba registrando um atentado terrorista, o que lhe torna mundialmente famoso. O filme é um projeto de Bráulio Mantovani, roteirista de Cidade de Deus e de Tropa de Elite.

Segundo ele, trata-se de um thriller psicológico que pode ser encarado pelo público como “um sonho”. Em entrevista ao site da Globo Filmes, ele contou que a “ideia é trazer o espectador para formular hipóteses sobre o que está acontecendo, mas sempre criando alguma dificuldade, mostrando, citando Drummond, que ‘tudo é outra coisa’”.

“A grande diferença do Albatroz para os outros filmes que escrevi é que, dessa vez, a ideia é minha. Em Cidade de Deus e na franquia Tropa de Elite, me apresentaram uma ideia e chamaram para escrever o roteiro. Já Albatroz começou na minha cabeça”, diz o roteirista, que usou como referências as obras de cineastas como David Lynch, Michelangelo Antonioni e Alain Resnais. A sessão debate é parte da Mostra Cinema e Reflexão do Cine CPFL, e tem a curadoria de Francisco Cesar Filho e Jurandir Muller.

Amanhã, será exibido Amor até as cinzas, de Jia Zhang-ke. O filme conta a história de uma mulher que se apaixona por um mafioso local. Durante uma disputa entre gangues rivais, ela dispara uma arma para protegê-lo, o que a leva a passar cinco anos na prisão. Após sair da cadeia, ela procura o amante para seguir a história de onde pararam.

Exposição

De segunda a sábado, o público pode conferir também a exposição Figura e modernidade: Rodin no acervo da Pinacoteca de São Paulo, que reúne na Galeria de Arte do Instituto CPFL, em Campinas, a coleção completa do artista francês na Pinacoteca. O conjunto de dez esculturas originais e 76 fotografias documentais da vida do artista fica exposto gratuitamente ao público até 29 de junho, segunda e terça, das 9h às 18h; quarta a sexta, das 9h às 19h; e sábados, das 10h às 16h. Entrada franca. A exposição tem a curadoria de Valéria Piccoli, curadora-chefe da Pinacoteca e conta com recursos educativos desenvolvidos pelo NAE – Núcleo de Ação Educativa da Pinacoteca, para uso autônomo, que estimulam a participação do público de todas as idades, criando novas relações com as obras. A exposição conta também com visitas educativas mediadas por educadores.